Da várzea, Jaqueirense torna Alagoas o melhor fut7 do País

Da várzea, Jaqueirense torna Alagoas o melhor fut7 do País

Por | Edição do dia 29 de outubro de 2018
Categoria: Esportes | Tags: ,,,,,,,,


Marcelo Alves – repórter

Jaqueirense campeão Brasileiro de Fut7 (Foto: Assessoria do Jaqueirense)

Jaqueirense campeão Brasileiro de Fut7 (Foto: Assessoria do Jaqueirense)

Alagoas subiu no topo do pódio esportivo nacional mais uma vez. O estado conquistou o título de campeão do Campeonato Brasileiro de Futebol de Futebol de 7, por meio do time do Jaqueirense, que é o atual bicampeão Estadual da modalidade. A competição nacional é promovida pela Confederação Brasileira de Futebol de 7 (CBF-7) com o apoio do Ministério do Esporte. A equipe alagoana venceu na final com o Unilog, do Espírito Santo, que segundo informações obtidas pela reportagem, o time capixaba é avaliado em R$ 100 mil. “Na questão de estrutura e apoio, o Unilog era superior, mas vencemos na parte técnica e no aprimoramento físico. Esperamos contar com apoio público e privado para continuar representando o Estado no futebol de sete“, disse Cícero Eugênio.

 

“Conquistamos o título contra um time com estrutura de clube profissional de onze jogadores”

 

Cícero Eugênio ao centro (camisa com a cor branca)

O técnico e presidente-executivo do Jaqueirense, empresário Cícero Eugênio, disse que para superar o Unilog, clube que, segundo ele, tinha estrutura profissional, precisou investir nos treinamentos físicos e aprimorar a parte técnica e tática do seu time. “Contratamos preparador físico e preparador de goleiros, um fisioterapeuta porque ao estudarmos o Unilog, percebemos que os jogadores capixabas apresentavam bom condicionamento físico nas partidas. Porém não tinham uma boa parte técnica, como nos temos. Daí com o trabalho físico promovido por profissionais, nós conseguimos igualar”, disse Cícero Eugênio.

Há cerca de 20 dias da disputa da final, Cícero Eugênio disse que intensificou os treinamentos. “Aproximadamente vinte dias, intensifiquei os treinamentos. Treinamos duas vezes por semana”, disse. O mandatário aproveitou ainda para elogiar a estrutura do Unilog e também solicitar apoio de setores públicos e privado para seguir representando o Estado em competições nacionais de fut7.

 

Ex-profissionais, amadores e “peladeiros” formam o elenco

 

A parte técnica enaltecida pelo treinador e mandatário pode ter a ver com a quantidade de ex-jogadores profissional de 11 que atuam no elenco do Jaqueirense. Entre os atletas que se aposentaram campo de grama natural, estão o goleiro Hudson, o atacante Afonso Há ainda o volante Olívio, do CRB, que é futebolista e cumpre suspensão imposta pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Além da experiência dos ex-jogadores, Cícero Eugênio explicou que o grupo de jogadores possui entrosamento, uma vez que já jogam juntos há mais de 20 anos. De acordo com ele, o Jaqueirense, do bairro da Chã da Jaqueira, periferia de Maceió, foi fundado em 1996 para disputar competições amadoras de futebol de várzea nos campos de futebol de 11 espalhados pela cidade. Já a partir de 2015, o empresário formou o time de fut-7. “Com o boom dos campos de futebol society, mantive o time de onze e migrei para o de sete”, disse.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A ida para o campo de grama sintética logo trouxe resultados. Em 2015 conquistou o terceiro lugar no Campeonato Estadual de Fut7. No ano seguinte, conquistou o título. Em 2017 faturou o bicampeonato Alagoano da modalidade e neste ano levou o troféu de campeão brasileiro, sagrando-se o melhor time de futebol de sete do País.

Apesar de contar com ex-jogadores, o melhor atleta da competição nacional foi o amador Dani, que durante a infância e juventude teve sua formação no futebol de salão. O elenco do Jaqueirense é formado também pelos chamados “peladeiros”, ou seja, os jogadores que atuam na bola uma vez por semana.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Mandatário do Jaqueirense já presidiu o CSA

 

Para chegar à conquista do título de Campeão Brasileiro de Fut-7, Cícero Eugênio iniciou sua trajetória no futebol investindo no time de várzea, Jaqueirense. O clube surgiu em 1996 como o clube que representa o bairro da Chã daWhatsApp Image 2018-10-24 at 15.11.42 (2) Jaqueira, localizado em uma das periferias de Maceió.

Das disputas de competições de campeonatos amadores de “pelada” e dos títulos conquistados, o dirigente do Jaqueirense que também é empresário ganha reconhecimento entre os torneios de bairros. Com isso é convidado para participar da diretoria-executiva do CSA, clube profissional do Estado.

No Azulão, Cícero Eugênio consegue chegar ao posto de presidente-executivo após a renúncia do ex-mandatário Jorge VI. No cargo mais alto do time azulino, o empresário cumpre o mandato do ex-presidente e deixa o clube sem participar do processo eleitoral de reeleição para continuar na vaga. Durante sua rápida passagem no Mutange, ele levou alguns jogadores da várzea que atuavam no Jagueirense para jogar no CSA, como o volante Marcelo e o meia Brow.

Do CSA, Cícero Eugênio retornou ao Jaqueirense. Em 2015 aproveitando o “boom” do futebol society, o empresário põe seu time para disputar as competições locais de fut7 e logo nos primeiros anos consegue alcanças bons resultados.

Questionado sobre o investimento feito no time do Jaqueirense, Cícero Eugênio disse que não paga aos jogadores para defenderem o time. “Não pago e os jogadores não pedem nada. O que é gasto é com a chamada ‘barca’ (comemoração regada à bebida e comida) no final do jogo. Nós somos uma família e aqui cada jogador respeita o outro atleta”, disse Cícero Eugênio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

Confira no vídeo o shoot out desperdiçado pelo Unilog e a comemoração do Jaqueirense ao conquistar o título de Campeão Brasileiro de Fut7

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados