CSA não resiste à velocidade da Ponte Preta e perde por 2 a 1 de virada

Por Thiago Luiz | Edição do dia 21 de agosto de 2020
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano | Tags: ,,,,,,,,


Azulão abriu o placar, mas não conseguiu segurar a Macaca. Foto: PontePress/AlvaroJr

O CSA foi até Campinas enfrentar a Ponte Preta em busca da reabilitação na Série B, na noite desta sexta-feira (21). Ainda com muitos desfalques do time titular e sem o técnico Eduardo Baptista, acometido pela COVID-19.

Logo aos dois minutos de jogo, o clima esquentou. Numa bola alçada à área azulina, o zagueiro paulista Wellington Carvalho dividiu com o goleiro Alexandre Cajuru, deixou a perna e recebeu cartão amarelo. Mas Luciano Castán e Leandro Souza foram tirar satisfação. Apesar dos empurrões, o árbitro conseguiu conter a confusão.

Quando a bola voltou a rolar, o Azulão foi muito eficiente. Aos quatro minutos, num escanteio, o volante Marquinhos subiu sozinho e cabeceou para abrir o placar e marcar o seu primeiro gol pelo time marujo.

O gol acordou o CSA. A equipe, comandado por Márcio Goiano, sabia suportar o ataque paulista. E quando chegava ao ataque, era para assustar. Numa jogada de persistência de Rodrigo Pimpão, que evitou a saída da bola pela linha de fundo e tocou voltando para o meio da área, Geovane chutou para fora.

Só que aos 22 minutos, mais uma vez o CSA tomou um gol por falha individual. E de novo Cajuru. João Paulo arriscou do meio da rua e não pegou bem. Mas quem foi mal mesmo, foi o goleiro do CSA. Tentou abafar a bola e acabou colocando para dentro. 1 a 1 no placar.

Mas a partir dos 27, o mesmo Cajuru fez duas defesaças em tentativas de Zé Roberto. Primeiro no chute colocado no ângulo, que ele pegou de mão trocada. Depois numa cabeçada forte no canto.

Já no final do primeiro tempo, o Azulão chegou mais uma vez na bola aérea. Leandro Souza cabeceou, mas mandou para a linha de fundo.

Na segunda etapa, Cajuru não voltou para o jogo por uma fisgada na coxa direita. No lugar dele, Bruno Grassi. Além dessa alteração, Renatinho ainda entrou na vaga de Yago.

Com a bola rolando, logo aos dois minutos, o autor do gol da Ponte achou Apodi num grande passe. O lateral só lançou para a pequena área e Matheus Peixoto completou para virar o placar. 2 a 1 para a Macaca.

Mesmo depois da virada, o time de Campinas não tirou o pé do acelerador. O ataque paulista sufocava a defesa do CSA. Num contra-ataque, quase João Paulo deixava o segundo dele, mas a bola desviou em Luciano Castán.

E essa foi a tônica durante todo o segundo tempo. A Ponte em cima e o CSA tentando nos contra-ataques, mas sem efetividade.

E terminou assim mesmo. Ponte Preta 2×1 CSA.

O Azulão volta a campo no domingo, às 19h, para mais um clássico diante do CRB, no Rei Pelé.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados