CSA e Volta Redonda: a mística do sete no último ato

CSA e Volta Redonda: a mística do sete no último ato

Por | Edição do dia 21 de setembro de 2016
Categoria: Esportes | Tags: ,,


Marcelo Alves

 

Nas últimas gestões do CSA, erros foram cometidos por conta de um dos sete pecados capitais: a vaidade. Nesta nova era do Azulão, o número sete deixou de ser sinônimo de pecado para se revestir com a mística da perfeição. Para se ter uma ideia desse contexto, o Volta Redonda – adversário na final do Campeonato Brasileiro da Série D –, se encaixa bem no destino do time azulino. Isso porque, o sobrenome do time carioca possui sete letras. E a conquista do título da competição nacional marcará o sétimo acerto do clube do Mutange neste ano.

Didira em cação no jogo com o são Bento (Foto: ALISSON FRAZÃO (ASCOM -CSA)

Cleyton

Cleyton comemorando gol (Foto: Ascom/CSA)

Os outros seis acertos do CSA foram a união dos presidentes Rafael Tenório (executivo) e Raimundo Tavares (do Conselho Deliberativo), a contratação do técnico Oliveira Canindé, o apoio da torcida azulina, um dos gols do ex-jogador Cleyton e a revitalização do Mutange.

Em todos os casos citados, há uma relação entre eles: o número sete. Os sobrenomes dos dois dirigentes e do treinador são formados por sete letras. a torcida “azulina” também conta com sete letras. O 7 era o número da camisa usada pelo ex-jogador Cleyton, que garantiu de vez a classificação do CSA para a semifinal da Série D e levou o Azulão para a C, em 2017. O gol foi marcado na vitória sobre o Ituano-SP por 1 a 0 na partida de volta disputada no dia 4 de setembro, no Rei Pelé. No jogo de ida, o Azulão tinha vencido o time paulista por 2 a 0, no dia 27 de agosto, no Novelli Junior, em Itu-SP. E por incrível que pareça, o nome Cleyton, que foi logo contratado por outro clube, possui sete letras.  O sexto acerto foi a revitalização do Mutange, que também é formado por sete letras.

Oliveira Canindé (Foto: Cacá Santiago)

Falta, agora, o sétimo acerto. Para isso, precisa vencer a decisão contra o Volta Redonda, que tem no sobrenome sete letras, entrou no destino do CSA. O primeiro jogo entre as duas equipes será disputado neste próximo domingo, dia 25, às 19h, no estádio Rei Pelé. A partida da volta está agendada para o próximo sábado, dia 1º de outubro, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda-RJ, às 21h.

 

Nação Azulina acredita na superioridade do CSA sobre o Volta Redonda

 

Grupo de torcedores "Nação Azulina" (Cortesia)

 

Para esta decisão contra o Volta Redonda, a torcida do CSA está confiante na conquista do título da Série D. Para o presidente do grupo de torcedores Nação Azulina-1, Junior Andrade, no duelo com o time carioca vão prevalecer a história do Azulão, o apoio incondicional das arquibancadas e a experiência do atual elenco do clube.

Junior Andrade diz não acreditar em superstição e até mesmo em mística, mas afirma que para se obter objetivos no futebol é preciso um bom planejamento. De acordo com o presidente e fundador do grupo Nação Azulina-1, a gestão de Rafael Tenório tem obtido êxito por causa do projeto que foi colocado em prática, além do investimento financeiro que foi feito para montar o elenco, visando à atual temporada.

Ele também credita o sucesso a atual era, o apoio que foi dado pela torcida a atual gestão. “A torcida Nação Azulina deu todo apoio ao Rafael Tenório, desde quando ele se colocou à disposição para disputar as eleições para a presidência do CSA. Na ocasião, Todo o grupo da Nação Azulina esteve com Rafael Tenório desde o início de sua candidatura”, disse Júnior Andrade.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados