Bom Dia!, Sexta-Feira - 19 de Julho de 2019

 

Crianças carentes inspiram exposição surrealista de Arapiraca

Assessoria / 12:14 - 13/05/2019

Obras da amostra “Casa de Passagem” estão sendo exibidas na Casa da Cultura


Conhecer algo é uma coisa. Viver esse algo de perto é outra. A experiência dá, então, o tom necessário para o nosso envolvimento no mundo. Por isso devemos errar por nós mesmos e chorar nossas próprias lágrimas.

Neste ambiente interno de conexão e congraçamento com o que está ao nosso redor, a exposição “Casa de Passagem”, da artista plástica arapiraquense Izabella Vitória Silva, teve sua abertura nesta sexta-feira (10) na Casa da Cultura.

Tudo começou com oficinas do projeto “O Olhar das Meninas”, realizado por ela a partir do Edital de Protagonismo Cultural dos Jovens – Prêmio Juventude Vez e Voz, viabilizado pela Prefeitura de Arapiraca, através da Secretaria Municipal de Cultura, Lazer e Juventude.

Izabella teve contato direto com crianças carentes atendidas pela Casa de Passagem Maria das Neves Borges (antiga Casa das Meninas, projeto social do saudoso padre Aldo de Melo Brandão), localizada no bairro Capiatã.

Lá ela pôde instigá-las a ter um olhar cativo sobre o mundo em volta, por meio de oficinas de Artes.

Assim, a artista plástica ouviu relatos e situações que a deixaram ainda mais conectada com aquelas crianças. Isto lhe rendeu inspiração para esta mostra que ora se apresenta na Casa da Cultura, no Centro de Arapiraca, até o próximo dia 24 deste mês.

Destes relatos, com a ajuda do produtor cultural e músico Janu Leite, ela fez uma seleção de entrevistas com as crianças (devidamente autorizadas) para reprodução de algumas delas durante a mostra.

Enquanto se vê e se absorve as obras surrealistas, ouve-se a criançada falando sobre a vida e o mundo, na perspectiva de cada uma delas, numa espécie de mosaico de passado, presente e futuro pintados com uma fala mansa.

“Eu cheguei para ensinar algo novo e fui eu quem aprendi. Foi lindo! Trabalhamos o desenho e a pintura, mas o que realmente instigamos nos pequenos foi a sensibilidade e essa coisa toda de se reconhecer naquilo que fazemos, em como sua mão faz o traço e aquilo vai imprimindo sentido, vai ganhando cor e corpo”, revela Izabella.

Durante as atividades, ela colocou à prova diversas obras de grandes personalidades mundiais das Artes para que as crianças, a seu modo, as interpretassem e lhes dessem significado.

Em uma das dinâmicas, foram levados espelhos e os pequenos ficaram se encarando diante deles, procurando características específicas, a fim de fazerem autorretratos.

Segundo Bella, como é também conhecida no meio artístico, o intuito da exposição é esse: fazer com que nos reconheçamos em nós e no outro.

No rol da Casa da Cultura — que fica na Praça Luiz Pereira Lima, no Centro de Arapiraca, funcionando manhã e tarde de segunda a sexta-feira —, há as obras “Rosárias” (instalação); “Pó de Nuvem” (mural de quadros); “Pipa” (instalação); “Antes de Caírem os Sonhos, Flutuavam” (óleo sobre tela); “Príncipe Brasileiro” (acrílico sobre tela); “Olhos d’Água” (óleo sobre tela); “Menina e o Peixe” (óleo sobre tela); “Memória InTerna” (óleo e linha sobre tela, com os dizeres “Saudade é o amor que fica”); “Segredo” (óleo sobre tela); “Passagem” (óleo sobre tela); “Rito de Passar” (videoarte, em realização conjunta com a fotógrafa Isadora Magalhães); e “Simone” (escultura de barro e argila), em homenagem a uma das crianças envolvidas em todo o processo.

A mostra “Casa de Passagem” — que tem como apoiadores culturais a Prefeitura de Arapiraca, Pífanos Pizzaria, Carajás, Livraria Central e Arcomar — traduz essa efemeridade que é o ainda. Estamos todos aqui apenas de passagem. Aproveite.


Comentar usando