CRB repete outras temporadas e perde o seu principal jogador

Léo Gamalho foi a bola da vez que, depois de fazer um bom início de temporada, vai atuar no futebol do Catar

Por Thiago Luiz | Edição do dia 5 de outubro de 2020
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano


Léo Gamalho se tornou artilheiro do Brasil com a camisa do Galo, mas sai antes do fim da temporada. Foto: Gustavo Henrique/Ascom CRB

Em mais uma temporada de destaques individuais do CRB, o clube não consegue segurar os principais nomes do elenco. No ano passado, o Galo até tentou, mas após a Ferroviária entrar com uma liminar, foi obrigado a liberar Felipe Ferreira para o Vasco da Gama. Em 2020, Rafael Longuine começou a despontar, mas sofreu lesão que o afastou dos gramados. Quem assumiu o “protagonismo” no Ninho do Galo foi o centroavante Léo Gamalho. Tornou-se o artilheiro do clube e do Brasil, com uma média alta de gols por partida, chamando a atenção de times tradicionais brasileiros.
Mas foi justamente de fora do Brasil a proposta que levará Gamalho embora do CRB.

O jogador tinha vínculo com o Regatas até novembro deste ano, em contrato que foi firmado antes da pandemia do novo coronavírus. Com a chegada da Covid-19 e a consequente extensão do Campeonato Brasileiro até fevereiro, os clubes precisariam renovar os contratos com seus atletas. O CRB anunciou a primeira “remessa” de renovação, com nomes importantes como o do Goleiro Victor Souza, mas sem o artilheiro.

Com isso, o presidente Marcos Barbosa deu um “ultimato” ao empresário do atleta, para que tivesse a resposta de definição de seu futuro até o dia 10 de outubro. A atitude do mandatário não agradou nem ao agente, nem ao próprio Gamalho e chateou ainda outros jogadores do elenco regatiano. Segundo informações apuradas pela Reportagem de O Dia Alagoas, esse foi um dos motivos para o “desabafo” do zagueiro Gum, em entrevista após a eliminação na Copa do Brasil, diante do Juventude.

Anteriormente, a informação que chegou era que times como Internacional e Grêmio teriam consultado o empresário do camisa nove para tentar a contratação. Principalmente o tricolor gaúcho estaria interessado, por só contar com Diego Souza no elenco.

O problema de não conseguir manter nomes importantes não é exclusiva em 2020. O trio de ataque da temporada passada foi um dos melhores que passou pelo Ninho do Galo. Felipe Ferreira, Alisson Farias e Léo Ceará conquistaram a torcida. Hoje, Ferreira reforça o Cuiabá. Já Alisson e Léo atuam juntos outra vez, mas pelo Vitória. E é justamente a dificuldade de encontrar no mercado peças de reposição à altura desses jogadores que acabam diminuindo o “poder de fogo” do time.

Como exemplo, basta analisar a situação do atacante Erik. O jogador rompeu o ligamento anterior cruzado do joelho direito e não atua mais este ano. Mesmo com uma queda no rendimento, no retorno do futebol após a paralisação por conta da pandemia da Covid-19, ele era peça importante no esquema tático do técnico Marcelo Cabo. E desde que foi entregue ao Departamento Médico, os pontas que assumiram deixaram muito a desejar e não conseguiram ofertar perigo para as defesas que enfrentaram.

Desde o início da Série B, contando ainda com três jogos pela Copa do Brasil, o CRB marcou 14 gols, dos quais 10 foram de Léo Gamalho. Um número extremamente importante, mas também preocupante, porque mostra que os atacantes de beirada do Galo não marcam com frequência.

E para agravar a situação, a diretoria alvirrubra está no mercado. Com o que tem no elenco, é difícil manter o pensamento de acesso à Série A. Se Marcelo Cabo optar por jogar com um falso camisa nove, pode apostar na velocidade pelas laterais do campo. Já se quiser manter a filosofia de jogo, só tem Alisson Safira para substituir Gamalho, que desde chegou ainda não mostrou serviço e tem sido muito questionado pelo torcedor.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados