Covid-19: Pessoas com 60 anos ou mais e profissionais da saúde podem tomar dose de reforço nesta sexta (1º) em Maceió

Intervalo de aplicação da 2ª dose da Pfizer foi reduzido para oito semanas para quem tomou a 1ª dose a partir do dia 30 de setembro

Covid-19: Pessoas com 60 anos ou mais e profissionais da saúde podem tomar dose de reforço nesta sexta (1º) em Maceió

Intervalo de aplicação da 2ª dose da Pfizer foi reduzido para oito semanas para quem tomou a 1ª dose a partir do dia 30 de setembro

Por Redação* | Edição do dia 1 de outubro de 2021
Categoria: Coronavírus, Maceió | Tags: ,,


Pessoas com 60 anos ou mais e profissionais da saúde podem tomar a 3ª dose da vacina contra a Covid-19 nesta sexta-feira (1º), a partir das 14h, em Maceió. Para que a aplicação seja feita, é necessário ter um intervalo de, pelo menos, seis meses desde que tenha sido tomada a segunda dose ou dose única.

Vacinação contra a Covid-19 segue avançando. Foto: Secom Maceió

A aplicação da dose de reforço para trabalhadores da saúde será segmentada por ordem alfabética, começando sexta pelas iniciais de A a G; no sábado (2), pessoas de H a N; e, no domingo (3), de O a Z.

A Prefeitura de Maceió antecipou também a conclusão do calendário vacinal para quem tomou Pfizer. Agora o prazo de aplicação da segunda dose foi reduzido de 12 para oito semanas.

As vacinas para estes públicos estarão disponíveis em todos os pontos de vacinação, com horário estendido até as 21h, no Corujão da Vacina nos shoppings Maceió (Mangabeiras) e Pátio (Cidade Universitária) e nos drive-thrus de Jaraguá e Serraria. Nos pontos da Praça Padre Cícero (Benedito Bentes), Ginásio Arivaldo Maia (Jacintinho), Papódromo (Vergel) e Terminal do Osman Loureiro (Clima Bom) o horário vai até às 16h.

De acordo com Nota Técnica do Conselho Estadual dos Secretários Municipais de Saúde (Cosems-AL), para esta etapa, a vacina para este público deverá ser, “preferencialmente, a da Pfizer ou, de maneira alternativa, da Astrazeneca ou Janssen.

Estão incluídos no grupo “Trabalhadores da Saúde” os estudantes da área, desde que estejam em atividades de exposição ao coronavírus, como estágios curriculares ou outras modalidades de prática acadêmica, conforme regramento adotado para a primeira dose.

“Trabalhadores dos serviços de saúde são todos aqueles que atuam em espaços e estabelecimentos de assistência e vigilância à saúde, sejam eles hospitais, clínicas, ambulatórios, laboratórios e outros locais. Compreende tanto os profissionais da saúde (ex. médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais, biólogos, biomédicos, farmacêuticos, odontólogos, fonoaudiólogos, psicólogos, assistentes sociais, profissionais da educação física, médicos veterinários e seus respectivos técnicos e auxiliares), quanto os trabalhadores de apoio (ex. recepcionistas, seguranças, trabalhadores da limpeza, cozinheiros e auxiliares, motoristas de ambulâncias e outros), ou seja, todos aqueles que trabalham nos serviços de saúde”, explica a Nota Nota Informativa nº 15 – DVS/CGE/GI – 01 de outubro de 2021.

“Além disso, incluem-se ainda aqueles profissionais que atuam em cuidados domiciliares (ex. cuidadores de idosos, doulas/parteiras), bem como funcionários do sistema funerário que tenham contato com cadáveres potencialmente contaminados. A vacina também será ofertada para estudantes de graduação e pós-graduação das profissões de Saúde, no que couber, desde que estejam em atividade de exposição ao coronavírus em razão de estágios curriculares e outras modalidades de prática acadêmica”.

Ainda sobre a vacinação de trabalhadores da Saúde, a nota reforça: “Neste momento atual, onde será realizada a administração da dose reforço, pontuamos os seguintes regramentos: Recomenda-se, expressamente, a vacinação somente daqueles que foram efetivamente vacinados no respectivo município com o esquema básico (D1 e D2), ou seja, a dose de reforço deve ser administrada no município no qual o trabalhador labora”.

Redução do prazo da vacina Pfizer

A nota do Cosems-AL informa ainda que o intervalo entre as doses da vacina Pfizer/Comirnaty será reduzido para oito semanas, ou seja, 56 dias. “Sobre a redução do intervalo, Maceió já iniciou o aprazamento da vacina para oito semanas ao invés de 12 da vacina Pfizer”, informa a diretora de Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Fernanda Rodrigues.

A Prefeitura estuda a possibilidade de estender a redução do intervalo para outros públicos. “Estamos avaliando a possibilidade de redução de todas as outras pessoas que já tinham sido vacinados com esse imunizante, o que será definido diante da conclusão da avaliação do público estimado e do saldo de doses que encontra-se sob guarda do Município”, completou.

Com assessoria

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados