Covid-19: Médicos do Hospital Metropolitano relatam momentos marcantes

Profissionais são lembrados neste domingo (18), quando se comemora o Dia do Médico

Por Agência Alagoas | Edição do dia 16 de outubro de 2020
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags:


Carina Magalhães

Durante a pandemia da Covid-19 alguns profissionais atuaram arduamente para combater a doença, dentre eles os médicos que tiveram que travar uma guerra contra um inimigo invisível e o qual não se conhecia. Médicos experientes, recém-formados e de todas as especialidades, focaram em um único objetivo: salvar vidas. Neste domingo (18), é comemorado o Dia do Médico, data originada do padroeiro da profissão, São Lucas, que além de ser apóstolo de Jesus, era médico.

Médicos que atuam no Hospital Metropolitano de Alagoas, atendendo pacientes com a Covid-19, relataram os momentos desafiadores durante a pandemia que parou o mundo. Entre eles está a médica Marília Salvá, que descreveu as horas de emoção que marcaram sua trajetória nessa luta contra o novo coronavírus.

“Tive que abrir mão da minha família pela medicina. Saí de casa para proteger meu pai, que é do grupo de risco e, passei a me dedicar exclusivamente aos paciente acometidos pela pandemia”, salientou Marília Salvá, ao enfatizar que, “entre os momentos marcantes, podem ser destacados àqueles em que os profissionais da medicina conseguiram recuperar pacientes que ficaram por longos períodos entubados e, depois de muito esforço, voltaram a falar e sentar, podendo retornar para suas famílias”.

Marília Salvá finalizou falando sobre o que espera do pós-pandemia. “Torço para que alguns comportamentos fiquem consolidados, como o hábito de lavar as mãos, higienizar os produtos comprados em lojas e supermercados. Mas, principalmente, espero que as pessoas incorporem a necessidade de se protegerem para resguardar a vida de outras pessoas”, enfatizou.

Já a médica Karina Chaves disse que o início da pandemia da Covid-19 foi assustador. “Trabalhar atendendo pacientes de uma doença desconhecida gerava muita apreensão e medo. Todos trabalhavam sob pressão, causando desgaste físico e mental por ser algo novo e desconhecido”, salientou.

Para ela, o que mais marcou este período foram às homenagens aos profissionais da saúde. “Foi gratificante ver que as pessoas estavam reconhecendo e homenageando o nosso trabalho, todo apoio foi bastante motivador”.

Marcos Ramalho, médico que atua na direção do Hospital Metropolitano de Alagoas e exerce o cargo de secretário executivo de ações em saúde, lembrou um momento marcante vivenciado por ele. “Nas primeiras semanas estávamos muito aflitos pela grande demanda de procura de leitos e fiquei muito preocupado. Achei que não ia conseguir, mas, inauguramos o Metropolitano e conseguimos garantir que todo mundo que precisasse de leitos fosse atendido”, enfatizou.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados