Conheça os homenageados da segunda Flipontal

Os homenageados, ambos alagoanos, serão o poeta Carlos Moliterno e Luiz Gutemberg, romancista e jornalista

Conheça os homenageados da segunda Flipontal

Os homenageados, ambos alagoanos, serão o poeta Carlos Moliterno e Luiz Gutemberg, romancista e jornalista

Por | Edição do dia 26 de novembro de 2018
Categoria: Agenda Cultural, Diversão | Tags: ,,


Luiz Gutemberg será um dos homenageados da segunda Flipontal. (Foto: divulgação)

Luiz Gutemberg será um dos homenageados da segunda Flipontal. (Foto: divulgação)

A Festa Literária do Pontal, a Flipontal, acontece no bairro lagunar de Maceió pela segunda vez, a partir desta terça-feira (27). O projeto é uma iniciativa da Associação Cultural Alagoa do Sul, com o apoio da Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac) e da Secretaria Municipal de Educação (Semed). Dessa vez, os homenageados, ambos alagoanos, serão o poeta Carlos Moliterno e Luiz Gutemberg, romancista e jornalista.

Nascido em Maceió, Alagoas, em 1937, Luiz Gutemberg fez história no jornalismo brasileiro atuando em vários veículos. Entre eles, o mais marcante de sua trajetória foi, sem dúvida, o carioca Jornal do Brasil, casa que lhe deu seu primeiro emprego no Rio de Janeiro, no final da década de 50: nesta época, o JB passava por uma radical reformulação, capitaneada por Odylo Costa Filho, jornalista e Imortal da Academia Brasileira de Letras, e caminhava a passos largos para se tornar o maior jornal do Brasil.

Gutemberg, biógrafo do político Ulysses Guimarães, chegou a dirigir o Jornal do Brasil e a beber champanhe com Benjamin Bradlee, o maior diretor da história do Washington Post, o jornal que deu coragem ao jornalismo ao expor o escândalo de Watergate, que levou o então presidente norte-americano Richard Nixon à renúncia. Tão grande quanto o Luiz Gutemberg jornalista, está o Luiz Gutemberg romancista, responsável por “O Anjo Americano”, um dos maiores romances em língua portuguesa, ambientado entre as cidades de Maceió e do Rio de Janeiro, e por alguns outros diamantes da literatura nacional.

Em 1969, enquanto Gutemberg apurava e noticiava na cidade maravilhosa, Carlos Moliterno, já aos 57 anos e tendo presidido mais de uma década antes a Academia Alagoana de Letras, lançava “A ilha”, um dos mais importantes livros de poesia já escritos em terras caetés. Até sua morte, em 1998, aos 86 anos, Moliterno publicou pouco, mas foi certeiro em seus três únicos trabalhos: além de “A ilha”, se destaca “Desencontro”, de 1953, o qual, embora fora de moda já há muitas décadas, e, inclusive, na década em que Moliterno o escreveu, registra com firmeza a lapidar estética da poesia parnasiana brasileira.

Além de poeta, Carlos Moliterno foi, por mais de 15 anos, do corpo editorial do Jornal de Alagoas e da Gazeta de Alagoas.

Flipontal

A abertura da Flipontal, a partir das 19h da terça-feira (27), acontece na Praça São Sebastião. As atividades se estendem por quatro dias, com destaque para a dramatização do poema “Como os gatos”, de Carlos Moliterno,  feita por alunos da Escola Municipal Silvestre Péricles, na quarta-feira (28), às 10h, e para a entrevista ao vivo com Luiz Gutemberg, capitaneado pelo historiador Geraldo Majella, que contará com a presença dos jornalistas Eliane Aquino e Rodrigo Cavalcanti, e da escritora Maragarida Patriota, na quinta-feira às 15h.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados