Confira imagens de pontos alagados em toda Maceió

Os registros de pontos de alagamento e queda de barreira foram flagrados por moradores de Maceió

Confira imagens de pontos alagados em toda Maceió

Os registros de pontos de alagamento e queda de barreira foram flagrados por moradores de Maceió

Por Thatyana Ferreira - estagiária sob supervisão | Edição do dia 15 de abril de 2021
Categoria: Maceió | Tags: ,


A população de Maceió tem flagrado vários pontos de alagamento na cidade desde a noite desta quarta-feira (14). Em razão das chuvas fortes, barreiras desabaram e várias rodovias, especialmente na parte baixa da capital alagoana, estão alagadas impossibilitando o trânsito de motoristas e pedestres.

A Levada e a Cambona estão alagadas desde ontem e para desviar dos pontos de alagamento e chegar em seu trabalho, localizado na Avenida Gov. Luis Cavalcante, no Tabuleiro, um maceioense precisou mudar sua rota habitual e seguir pelo Centro da cidade.

“Não fui pela levada porque já sabia como estava ali, precisei ir pelo Centro,  e subir pela ladeira dos Martírios, ” afirmou Edson da Silva Farias, de 44 anos, morador do Vergel do Lago.

Até o momento cinco deslizamentos de barreira foram registrados, sendo três deles no Benedito Bentes. O nível do Rio Jacarecica subiu novamente, voltando a invadir a Avenida Pierre Chalita, mas por enquanto o trânsito na rodovia não foi interditado.

Ainda no Benedito Bentes, na Rua São José, localizada na Grota da Alegria, uma casa desabou durante a manhã de hoje devido às pancadas de chuva. A casa vizinha, que foi inundada pelo temporal e  também está correndo o risco de desmoronar, tanto que nos vídeos enviados pelos moradores (confira abaixo) é possível ver a lama saindo de dentro da residência e descendo para a rua. 

“A casa foi pro chão, minha gente,” relata em tom de choro e desespero uma das moradoras da casa que caiu. 

Rosicleide da Silva Macena, foi a moradora da casa que desabou, ela  também perdeu todos os seus pertences que estavam no local. Ninguém se feriu e ela recebeu atendimento da Defesa Civil, que a orientou a buscar um abrigo, mas ela preferiu ir para a casa da avó por ter uma filha pequena. Ela também recebeu apoio de vizinhos para trocar de roupa.

“Eu não vou para o abrigo porque eu tenho uma criança de seis anos e a gente ficou sem roupa, sem nada. Vim para casa de parentes agora para ver o que eu consigo…Para me erguer de novo e começar a luta…Estou aqui descalça com a roupa do corpo, estava toda molhada, relatou Rosicleide da Silva.   

Na mesma grota em que Rosicleide morava, pessoas ficaram soterradas após o desabamento de uma barreira. De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar (CBMAL), quando eles chegaram ao local as vítimas já haviam sido socorridas. Elas não sofreram ferimentos graves e por isso não precisaram ser conduzidas a uma unidade de saúde, mas ainda existem riscos de desabamento no local.  Equipes da Defesa Civil e da Equatorial foram acionadas ao local para monitorar o risco de desabamento ou acidente causado por choque elétrico.

Uma moradora do Cleto Marques Luz, proximo ao novo Instituto Médico Legal (IML) também perdeu todos os seus pertences depois que sua casa foi invadida pela água. Ela estava com a casa alagada desde o domingo e a parede do imóvel está rachada, correndo o risco de desabar. Numa tentantiva de ajudar, sua filha divulgou um vídeo nas redes sociais fazendo um apelo. Elas entraram em contato com a Defesa Civil, mas não receberam nenhum retorno e não tem nenhum lugar onde elas possam buscar abrigo.

 

“Não tem para onde ir não, é ficar onde está e vê o que é que pode fazer para ajeitar a casa, onde vazou água,” afirma indignada Dayane Rodrigues Ferreira. Relatando que todo o apoio que ela e a mãe receberam foi dos moradores da região.

Em Fernão Velho existem vários pontos de alagamento na cidade, principalmente nas proximidades do terminal de ônibus e da igreja. Algumas ruas cederam e outras estão completamente submersas pela água. Dificultando a passagem de moradores e de veículos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Um dos moradores da região entrou em um bueiro, que de acordo com ele fica submerso quando a rua alaga e ninguém consegue visualizar o buraco. Ele fez isso para mostrar a profundidade do local e o risco que as pessoas correm de se machucar se acabarem caindo dentro do bueiro que se encontra destampado.

Este slideshow necessita de JavaScript.

*Mais informações em breve.

Confira fotos e vídeos enviados por maceioenses que flagraram pontos de alagamento em toda Maceió:

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados