Confira como foi a volta às aulas nas escolas municipais de Maceió

Município garantiu kit merenda, o Bolsa Escola Municipal, contratações, reformas na estrutura predial, novas creches, entre outras melhorias

Confira como foi a volta às aulas nas escolas municipais de Maceió

Município garantiu kit merenda, o Bolsa Escola Municipal, contratações, reformas na estrutura predial, novas creches, entre outras melhorias

Por Assessoria | Edição do dia 23 de agosto de 2021
Categoria: Educação | Tags: ,,,


Com o retorno das aulas na modalidade híbrida nesta segunda-feira (23), os estudantes da rede municipal de ensino de Maceió contarão com uma série de incentivos para assegurar sua permanência e bom rendimento após mais de um ano de ensino remoto. Além do cumprimento de todas as normas de segurança sanitária para evitar a propagação do coronavírus, a Prefeitura de Maceió garantiu melhorias estruturais, benefícios financeiros, novas convocações de profissionais, entre outras iniciativas.

Para o secretário de Educação, Elder Maia, a prioridade é o conforto e bem-estar dos estudantes no dia a dia escolar. “Estamos realizando todos os ajustes de infraestrutura, limpeza, transporte escolar e alimentação para assegurar que esses estudantes tenham todo o apoio para estudar”, diz Elder.

Foto: Reprodução

Com o auxílio do recém-lançado Painel dos Indicadores da Educação Municipal, a Secretaria Municipal de Educação (Semed) vem estudando os números da rede e buscando estratégias para aprimorá-los. É o caso do Projetos Educacionais – Fábrica de Soluções (EITA!) que, em parceria com instituições de ensino superior, fomentará soluções criativas para melhorar os indicadores.

Nessa frente, já foi concretizado um número recorde de estudantes matriculados na rede. Os quase 53 mil novos alunos são fruto de um esforço da gestão para garantir um crescimento significativo nas matrículas após anos de redução. Programas de assistência como o Bolsa Escola Municipal (BEM) e a entrega dos kits merenda para as famílias foram vitais para concretizar esse objetivo.

Na avaliação do secretário Elder Maia, a entrega dos kits é importante para garantir o aprendizado dos estudantes. “Com fome ninguém pode estudar e ninguém consegue ter um bom desempenho nas atividades didáticas”, afirma.

Para assegurar o atendimento à nova demanda, já está sendo viabilizada a construção de novos Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) no Vergel do Lago, no Benedito Bentes e no Ouro Preto, além da expansão de equipamentos existentes, como a Escola Municipal Professor Lenilton Alves Santos, no Jacintinho. A Escola Municipal Yeda Oliveira, na Cidade Universitária, por exemplo, será totalmente reconstruída para se adequar aos padrões atuais.

A convocação de 139 novos profissionais da educação nos últimos meses também reforça o retorno às aulas, além de gerar empregos e renda no processo. “A pandemia pela qual estamos passando exige de nós um esforço ainda maior para nos preparar para a retomada das aulas presencias. E, com a ampliação dos equipamentos da rede, se faz necessário reforçar a nossa força de trabalho em virtude do aumento da procura pelas vagas ofertadas pelas escolas da Secretaria”, avalia Elder

Com os pagamentos do BEM, que vão de R$ 70 a R$ 300, as famílias também podem respirar mais tranquilas na hora da feira de casa e na compra de materiais escolares. “O dinheiro veio em boa hora, estava precisando muito. Foi fácil de receber, caiu no mesmo dia. Já tirei e comprei algumas coisas para o meu filho. Só tenho a agradecer”, conta Renata Polyana, mãe do Kerllyson Davy, estudante da rede que foi beneficiado.

Chegar até a escola também não será um problema: com 102 veículos modernos, quase 14 mil estudantes que residem longe da sua unidade de ensino poderão contar com um trajeto seguro e sossegado, inclusive com o acompanhamento de monitores. Os veículos rodarão com 50% de sua capacidade, como medida para prevenção da Covid-19.

A segurança sanitária também é assunto sério para a gestão, que vem fazendo entregas de Equipamentos de Proteção Indivídual (EPIs) para todas as escolas da rede desde o início do ano. Os kits serão reforçados com totens de álcool em gel para higienização das mãos e sinalização nas escolas.

Foto: Reprodução

A parte estrutural das escolas também teve reforço com melhorias, nova pintura, reparos e até mesmo ampliações. Todas as 143 escolas da rede receberam novos materiais informáticos para o administrativo, eletroeletrônicos, além da retirada dos materiais inservíveis, evitando a proliferação de animais peçonhentos e garantindo um ambiente mais seguro.

A Diretoria de Gestão Educacional (DGE) da Semed fez vários preparativos para as diversas etapas da rede municipal. Para nortear e uniformizar as ações pedagógicas e os protocolos da volta às aulas, como o revezamento das turmas em grupos de até 60%, foi criado o Guia de Orientações Para o Ensino Presencial no Modelo Híbrido.

O documento conta com versões para o Educação InfantilEnsino Fundamental e Educação Para Jovens, Adultos e Idosos (Ejai). “O guia orientador reforça a necessidade de uma avaliação e o acompanhamento das medidas e ações realizadas pela rede municipal. Então, paralelo a esse guia e o retorno às atividades presenciais, as escolas também seguirão um checklist facilitador de acompanhamento das ações efetivadas”, detalha a diretora de Gestão Educacional, Maria José Alves Costa.

O acompanhamento também será facilitado e mediado pela Secretaria com ajuda da Avaliação Diagnóstica, que identificará as lacunas que as turmas tiveram durante o ensino remoto e possibilitará que os professores tracem estratégias para preenchê-las.

“Esse diagnóstico servirá para nortear as ações pedagógicas para este e os próximos anos. O nosso objetivo é a recuperação das aprendizagens e a consolidação delas. Tivemos um período remoto muito difícil e precisamos entender se os nossos alunos avançaram, estagnaram ou regrediram na aprendizagem”, diz a coordenadora de Ensino Fundamental, Juliane Medeiros.

A prova testará os conhecimentos dos alunos em Língua Portuguesa, Matemática e Fluência, sendo aplicada exclusivamente no Ensino Fundamental. “Como no ensino fundamental o aluno está desenvolvendo a habilidade de leitura/interpretação de texto, avaliar sua Fluência é importante para entender como está maturando essa capacidade no estudante”, informou o secretário Elder Maia.

Com a aproximação do teste do Sistema de Avaliação da Educação Básica, a coordenação também se prepara para treinar os professores e garantir um aproveitamento melhor dos estudantes no teste.

“A prova ocorrerá no 2º, 5º e 9º ano, e iremos trabalhar com os professores dessas turmas para que eles possam fazer um planejamento mais focado e que, apesar dos pesares, com esse momento de ensino remoto que vivemos, nossos alunos possam ter um bom resultado”, relata Juliane.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados