Experiências internacionais: inglês

Por | Edição do dia 9 de fevereiro de 2020
Categoria: Opiniões | Tags: ,,,


Comecei a estudar Inglês quando tinha 10 anos, fui aprendendo e me interessando mais e mais, morei no exterior, e percebi a real importância da língua Inglesa quando estive fora. Em minhas viagens pude conhecer muitas pessoas de nacionalidades diferentes, aprender outras culturas, me locomover com facilidade, sair de situações complexas e até amar. 

Se você se interessa em estudar no exterior (pós-graduação, mestrado, doutorado e pós-doutorado), a primeira coisa que deve fazer é estudar uma língua, de preferência Inglês, porque é a mais falada, lida e escrita no ambiente acadêmico, mesmo que você vá para um país que fale Português. Em Portugal, por exemplo, não espere receber os materiais de estudo nessa língua, isso não acontecerá… Sinto muito! Os artigos internacionais são em Inglês e os seus não serão diferentes, para se ter reconhecimento internacional a tradução é necessária. 

Pense em fazer uma certificação internacional que não tenha período de validade, uma ótima opção é o IELTS acadêmico, este te dá até condições de uma possível imigração futura. Muitas pessoas vão para estudar e são aproveitadas pelo mercado de trabalho nesses países. Preparo alunos há alguns anos para fazer este teste. Para mim, é o mais fácil em relação às habilidades: fala, escrita, leitura. Alguns alunos reclamam da parte auditiva e gramatical dele, mas considero inicialmente que devemos reconhecer que alguns alunos têm dificuldades em ouvir até o nosso Português, então o esforço é necessário. Quanto à gramática, pode ser falta de tempo para estudar (tempo insuficiente para o preparo) ou falta de estudos mesmo, o grau de dificuldade advém do despreparo. Essa certificação hoje está em torno de R$ 900,00, o que não é um valor alto para uma certificação que será válida para sempre. Sim, existem outras certificações, tais como o TOEFL, FCE… Mas indico o IELTS.

Não perca tempo! Investir em um curso de Inglês é necessário e vai te colocar numa posição confortável no mundo (porque daqui a pouco o Inglês será mandatório e o Mandarim pré-requisito)!  Aproveite para estudar no Brasil, é mais barato e pode ser até mais rápido se você tiver condições de fazer aulas particulares, o desempenho é muito melhor nessas condições. Um exemplo é de um aluno iniciante que em seis meses consegue chegar a um nível intermediário, enquanto que se estivesse em uma sala de aula com mais 15 estudantes, não sairia do nível básico. 

 Então, o que você está esperando?!

Ana Cecilia Cahu

**Ana Cecília Cahú, professora de Inglês, tradutora juramentada ad hoc pela Junta Comercial de Alagoas, perita, tradutora e intérprete na língua Inglesa pelo Tribunal de Justiça de Alagoas e advogada. 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados