Começa formação para escolas que adotarão tempo integral

Primeira reunião com as unidades ocorreu nesta segunda-feira (28) na sede da 13ª Gere, encontros prosseguem até o final do ano

Por | Edição do dia 29 de setembro de 2015
Categoria: Artigos, Educação, Notícias | Tags: ,,


large

Temáticas como a estrutura e a gestão das 13 escolas da rede estadual que funcionarão em tempo integral entraram na pauta. (Foto: José Demétrio-Agência Alagoas)

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) deu início, nesta segunda-feira (28), ao processo de formação com as 13 escolas da rede estadual que adotarão o regime de ensino médio em tempo integral a partir de 2016. O encontro foi realizado na sede da 13ª Gerência Regional de Educação (Gere), no Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa), com a presença dos técnicos da Seduc, gerentes regionais de Educação e gestores das 13 unidades.

Conduzida pela secretária-executiva de Educação, Laura Souza, a reunião abordou temáticas relativas a lotação, estrutura e gestão. Na ocasião, também houve uma apresentação acerca do Programa Alagoano de Ensino Integral; da Escola Estadual Marcos Antônio, primeira escola da rede estadual a adotar o regime e das experiências que os estados de Pernambuco e Ceará vivenciaram ao implantar a modalidade.

De acordo com Laura Souza, ao adotar o tempo integral, a escola deve vivenciar práticas inovadoras nos segmentos pedagógicos. As unidades também passarão por adequações em sua infraestrutura para implantar o regime, o que inclui serviços de manutenção predial.

“Estas escolas ainda receberão armários para seus alunos e laboratórios de robótica. Até o final do ano, trabalharemos constantemente com as 13 escolas, discutindo a melhor forma de implantar o tempo integral em cada unidade”, explicou Laura Souza.

Profissionalizantes e EJA                                                                     

As 13 unidades terão a opção de agregar a grade do ensino médio a conteúdos de cursos técnicos profissionalizantes. Os cursos que serão ofertados nestas unidades atenderão às demandas e vocações de cada região, conforme explica o gerente de Educação Profissional e Ensino Superior, José Barbosa Neto.

“Fizemos uma pesquisa de mercado levando em consideração os arranjos produtivos locais e polos de desenvolvimento e, a partir deste levantamento, apresentamos as possibilidades de cursos técnicos a serem ofertados. Antes da definição destes cursos, serão analisados o seu potencial de empregabilidade e o que agregam de conhecimento para o aluno”, informou Barbosa.

Além dos cursos profissionalizantes, também haverá a possibilidade das unidades oferecerem Educação de Jovens Adultos (EJA) no período noturno. “A ideia é que a escola atenda um público diversificado”, declarou Ricardo Lisboa, superintendente de Políticas Educacionais da Seduc.

Escolas

A Escola Estadual Geraldo Melo, no conjunto Graciliano Ramos, em Maceió, é uma das 13 unidades que implantarão o regime de tempo integral a partir de 2016. A notícia, segundo a diretora Irineide Araujo, foi recebida com alegria pela comunidade.

“Todos os nossos projetos são abraçados pela comunidade e não foi diferente com o tempo integral. Estamos em uma área de vulnerabilidade social e os pais, por exemplo, demonstraram muita satisfação com a vinda do projeto”, contou Irineide, ressaltando que, além do tempo integral, a escola recebeu o projeto de ensino de tênis do Governo de Alagoas para 300 estudantes.

Para Cícero Trindade, diretor da Escola Estadual José Aprígio Vilela, em Teotônio Vilela, o regime de tempo integral fortalece ainda mais o projeto desenvolvido pela escola na oferta de cursos profissionalizantes.

“Desde 2010, oferecemos cursos profissionalizantes aos estudantes do Ensino Médio e, no momento, temos alguns laboratórios em construção”, acrescentou.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados