Comarca de Rio Largo promove dia de lazer e conscientização para crianças

Pequenos estão envolvidos em processos de guarda e visitação ou são atendidos por instituições como Casa Lar, Conselho Tutelar e Creas

Comarca de Rio Largo promove dia de lazer e conscientização para crianças

Pequenos estão envolvidos em processos de guarda e visitação ou são atendidos por instituições como Casa Lar, Conselho Tutelar e Creas

Por Assessoria | Edição do dia 23 de outubro de 2020
Categoria: Notícias | Tags: ,


Foto: Reprodução

Esta sexta-feira (23) foi um dia de bastante animação no Fórum de Rio Largo. Um grupo de 60 crianças em processo de guarda ou visitação, além das atendidas por instituições da cidade, teve um período de lazer com brincadeiras, atividades lúdicas e lanches. A ação foi promovida pelo projeto Guarda-me, idealizado pela juíza Carolina Valões, e realizado em parceria com a Equipe Multidisciplinar da comarca.

Devido à pandemia, foram atendidas 12 crianças por hora, que ficaram divididas em três “cantinhos”. No Cantinho dos Direitos, a equipe de assistentes sociais conversou com os pequenos sobre suas garantias e deveres, além da relação de respeito que eles devem ter com os pais.
Para a assistente social Clara Morgana, proporcionar momentos como este é fundamental para o bem-estar das crianças. “É um momento de sair de sua realidade, muitas vezes um pouco dura. Além de quebrar o tabu de que o fórum é um ambiente tenso, um ambiente onde se vai lá para ?escolher se vai ficar com o papai ou com a mamãe?”, explica.
No Cantinho Pintando o Sete, a pintura foi trabalhada de forma lúdica. “As crianças muitas vezes estão em processos que as deixam carentes, necessitadas de um olhar diferenciado. A equipe multidisciplinar faz justamento esse papel de desconstrução e construção de uma nova identidade para elas”, destaca a psicóloga Karen Albuquerque.
Já no Cantinho Era Uma Vez, a equipe de pedagogia fez contação de histórias e conscientizou sobre os cuidados com a pandemia. Com apoio de pessoas da cidade, foram disponibilizados brinquedos como pula-pula e piscina de bolinhas, além de lanches. Ao final, todas as crianças também ganharam presentes.
A juíza Carolina Valões, da 2ª Vara Cível de Rio Largo, explica que, por meio dos desenhos e peças teatrais promovidas pela leitura, as crianças podem se comunicar melhor.  “A expressão da criança não vem somente pela fala, mas principalmente pelo gestual. Nesse contato, que é lúdico, é possível que a gente extraia dessas crianças o fato de como flui o relacionamento delas com seus responsáveis”.
Ainda segundo a magistrada, a ação fornece melhores condições para que ela possa decidir com mais segurança as concessões de guarda, além de haver uma aproximação entre a equipe que faz o acompanhamento e as crianças.
Enquanto as crianças se divertiam e aprendiam, os responsáveis passavam por um momento de conscientização sobre violência sexual e doméstica, alienação parental, comunicação não-violenta e  ressignificação das relações familiares, que precisa acontecer após o término da união estável dos responsáveis das crianças. “O projeto Guarda-me abarca toda a família”, conclui a juíza Carolina Valões.
Projeto Guarda-me
O projeto Guarda-me foi criado com o objetivo de restabelecer as relações familiares entre partes litigantes de processos de guarda ou visitação de crianças e adolescentes.
O projeto garante às partes uma tutela jurisdicional devida para a situação reivindicada, que muitas vezes não se resolve apenas no julgamento do processo, já que envolve questões além das jurídicas. Assim, busca-se solucionar o conflito familiar em atenção à complexidade que o envolve, sob um viés multidisciplinar, baseado na ressignificação e na construção da paz.
A ideia é que, ao término de etapas, as famílias encaminhadas sejam capazes de dialogar sobre os conflitos familiares que venham a surgir em suas vidas.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados