Comandante Liziário do BPRv pede exoneração em meio a embate judicial

O oficial diz que a função de comandante do BPRv não mais lhe traria prazer depois de tudo o que vem acontecendo

Comandante Liziário do BPRv pede exoneração em meio a embate judicial

O oficial diz que a função de comandante do BPRv não mais lhe traria prazer depois de tudo o que vem acontecendo

Por Redação* | Edição do dia 2 de junho de 2021
Categoria: Polícia | Tags: ,


O tenente-coronel Everaldo Liziário dos Santos Júnior, da Polícia Militar de Alagoas (PMAL), pediu exoneração da função de comandante do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv). O pedido foi enviado ao comandante geral da Polícia Militar de Alagoas nesta quarta-feira (2). Em seus argumentos, o oficial diz que a função de comandante do BPRv não mais lhe traria prazer “por tudo o que ocorreu e vem ocorrendo”.

O coronel Liziário, como é conhecido, se refereriu no parágrafo anterior às decisões da Justiça dadas na última semana em que foi primeiro determinado o afastamento dele da função e depois outra decisão, na segunda-feira, que o reconduziu, além do clima na própria corporação.

Segundo o oficial Tudo começou com conversas paralelas por grupos de whatsapp que o acusavam de ser desleal, a acusação veio por outros membros da PMAL. Liziário narra que lhe foi imputada a realização de atos e crimes, que ele diz nunca ter cometido e ainda afirma que, por não aceitar calado tudo o que vinha ocorrendo, foi perseguido por um “seleto grupo de membros desta Corporação Militar”.

Na última sexta-feira (28), o juiz de Direito da 13ª Vara Criminal da Capital/Trânsito e Auditoria José Cavalcanti Manso Neto determinou o afastamento de Liziário do posto de comandante do BPRv. Porém, nesta terça-feira (1º),o desembargador Tutmés Airan derrubou a liminar que determinava o afastamento e decidiu pelo retorno de Liziário à função.

No entanto, no pedido de exoneração, o oficial diz que seu nome e imagem já haviam sido veiculados em diversos meios de comunicação de grande circulação, assim como o da PMAL, em virtude do que ele chama de perseguição. “Se este é o desejo de quem está armando este circo midiático, não é o meu”. “Não me orgulho de ver o meu nome e o nome da corporação militar alagoana sendo veiculado nos meios de comunicação por pura birra e tentativas nefastas de manipulações por sentimentos puramente egóicos”, diz no documento enviado ao comando da PM.

A Polícia Militar informou que não vai se posicionar sobre o assunto.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados