Com apoio da Secult, Jaraguá virou “Mama África” nas comemorações da semana da consciência negra

Evento do Projeto Vamos Jaraguanear tem sequência nos próximos dias 26 e 27 de novembro com shows de grupos alagoanos

Com apoio da Secult, Jaraguá virou “Mama África” nas comemorações da semana da consciência negra

Evento do Projeto Vamos Jaraguanear tem sequência nos próximos dias 26 e 27 de novembro com shows de grupos alagoanos

Por Assessoria | Edição do dia 22 de novembro de 2021
Categoria: Cultura, Maceió | Tags: ,,,,,,


Nas comemorações da Semana da Consciência Negra, durante a última sexta-feira (19) e o sábado (20), a Praça Dois Leões, no bairro de Jaraguá, se transformou em uma verdadeira “mama África”. Com shows de grupos afro alagoanos, o Projeto Vamos Jaraguanear nas Sextas Clássicas trouxe uma programação dedicada a Zumbi dos Palmares, na praça Dois Leões, com shows dos grupos Afro Dendê, do Benedito Bentes; Afro Axé, do Trapiche, e Afro Zumbi, do Jacintinho.

“O povo ficou maravilhado dançando  e cantando na praça. Foram noites lindas e não deixaram nada a dever para Olodum nenhum. Fiquei impressionado com a qualidade musical dos nossos grupos vindos dos grandes bairros de Maceió, onde está o coração da cultura popular”, afirmou o produtor cultural e escritor Carlito Lima.

O evento é uma realização da Associação Alagoa do Sul, presidido por Carlito, por meio da Lei Aldir Blanc, com apoio da Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, do Governo Federal; Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e a Fundação Municipal de Ação Cultural de Maceió (FMAC).

Moradores de rua

Na sexta feira (19), a atração foi a “invasão das margens”, quando internos em recuperação contra as drogas e moradores de rua, do abrigo São Vicente de Paula, subiram ao palco relembrando clássicos da música popular brasileira. A cantora Lorena Costa, de 39 anos, venceu “por um dia”, como gosta de falar, e soltou sua linda voz no palco. Os internos da Casa de Ranquine, John Blade no vilão, e Lucas, na percussão, acompanharam Lorena no show acústico na praça.

Há dez anos sem pisar em um palco, Lorena nasceu de uma família pobre, no bairro Levada, em uma família de músicos da banda Trevus, que fez muito sucesso em Maceió. Ela chegou a gravar um disco com o forrozeiro Avelino Torres, cantar em São Paulo e Salvador, como cantora de trios elétricos. .

“Sou uma dependente química, só por hoje. Tive meus desvios, mas nunca me afastei da música. Temos histórias desandadas, mas nosso desafio é parar toda essa minha má fase, e me lançar no mercado. Pois me sinto como uma música profissional, só que nunca fui uma estrela, mas busco meu reconhecimento pelas pessoas”,  disse a artista veterana.

O evento segue no próximo fim de semana com novas atrações.

Confira a programação para os dias 26 e 27 de novembro

26 de novembro (sexta)

19h30: Abertura: Afro Caeté e Sax Elizaubo – Bolero de Ravel
20h: Concerto Banda da Guarda Municipal
21h30: Concerto Orquestra Filarmônica Santa Cecília

27 de novembro (sábado)

19h30: Batuque Mundaú
20h30: Grupo Coração de Mainha

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados