Coligação Maceió Mais Forte denuncia JHC por uso indevido de veículos de comunicação

Por Redação | Edição do dia 14 de outubro de 2020
Categoria: Maceió, Notícias | Tags: ,,,,


Foto: Reprodução

A coligação Maceió Mais Forte (MDB, Podemos, PRTVB, PSC, PL, PTC, PV, Avante e PSD), que lançou a candidatura de Alfredo Gaspar à prefeitura de Maceió, entrou com uma ação na Justiça Eleitoral para pedir a cassação da candidatura e a inelegibilidade da chapa João Henrique Caldas (JHC) e Ronaldo Lessa. A coligação denuncia a chapa de JHC de uso indevido de veículos de comunicação.

A ação de investigação judicial eleitoral alega que o candidato JHC fez uso indevido de duas emissoras de rádio pertencente a sua família, as rádios Farol FM e Francês FM. De acordo com a coligação, essa atitude se configura como abuso de poder econômico, midiático e uso indevido de veículos de comunicação.

Além de JHC, a ação também denuncia os diretores da Fundação Quilombo, proprietária das rádios, Luiz André Ramos Bezerra e Edno Lino da Silva, além dos âncoras dos principais programas do veículos, Drailton Diniz e Rodolfo do Nascimento Barros.

“As emissoras são espaços de concessão pública e não podem, de modo algum, explicitar inclinação política ou dar tratamento privilegiado a quem se apresente como possível candidato. No caso específico das duas rádios da família de JHC, dentro de suas programações diárias, faziam uma constante referência ao deputado, enfocando os mais diversos assuntos. Ele era protagonista de programas de larga audiência (como Mobiliza Brasil e Show da Manhã), sendo quase que entrevistado exclusivo dos programas sobre temas variados”, diz um trecho do documento.

A ação ainda cita que os intervalos comerciais das rádios contada com referências às opiniões de JHC e às suas ações em Brasília. O que era postado pelo candidato nas redes sociais também teria sido repercutido.

O documento também aponta que, entre março e agosto, as rádios teriam destinado 160 horas ao candidato, entre entrevistas, menções, referências ou comentários, numa despesa de R$500 mil. E somente JHC teria tido tal privilégio.

As duas emissoras possuem ainda afiliadas que pertencem a uma empresa chamada Alagoas Comunicação LTDA. que possui, dentre seus sócios, o próprio João Henrique Caldas.

A ação destaca, por fim, que os âncoras dos programas Mobiliza Brasil e Show da Manhã, os dois programas de maior audiência das emissoras, teriam laços estreitos com JHC. Um deles já teria sido representante de uma empresa de promoção de comunicação, que teria sido uma das maiores beneficiárias de verbas de gabinete do deputado JHC. E o outro, receberia salário como assessora do gabinete do parlamentar em Brasília até meados deste ano, apesar de trabalhar diariamente na rádio em Maceió. Em junho deste ano, ele teria pedido exoneração do gabinete de JHC e, atualmente, é candidato a vereador da coligação Aliança com o Povo, a mesma que lançou JHC como candidato à prefeito de Maceió.

Em nota enviada ao Cada Minuto, JHC afirmou que possui 30% da empresa Alagoas Comunicações e esse fato está declarado conforme a legislação vigente. Ele também reforçou que possuir parte da empresa não representa nenhuma ilegalidade.

“O status de acionista não é uma carta branca para fazer o que bem deseja na emissora, visto que não é sócio majoritário e sequer possui poderes de gestão, conforme contrato social. A alegação da coligação ‘Maceió Mais Forte’ se valeu de um instrumento legal como uma vingança infundada, uma resposta à denúncia de compra de votos por Alfredo Gaspar”, diz a nota.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados