COAF caça Bolsonaro

Por | Edição do dia 9 de dezembro de 2018
Categoria: Expressão, Jornal o Dia


As intricadas relações da família Bolsonaro com o ex-militar e ex-assessor parlamentar Fabrício Queiroz, já se apresentam como um teste da independência da Polícia Federal (PF), agora, sob o comando do todo poderoso futuro ministro da Justiça – Sérgio Mouro. Como noticiado, Queiroz, que exerceu a função de assessor do deputado estadual, Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), movimentou, segundo dados do COAF (Conselho de Controle de Atividade Financeiras), R$ 1,2 milhão, no período de janeiro de 2016 e janeiro de 2017. O que chama a atenção neste caso é que o valor apontado é incompatível com os vencimentos do ex-assessor.

Outro fato que causa ainda mais estranheza é que Queiroz teria depositado R$ 24 mil na conta da futura primeira dama Michele Bolsonaro. A transação teria sido efetuada mediante cheque nominal. Ele também fez saques em dinheiro no valor de R$ 320 mil. Mais uma situação atípica apontada pelo COAF diz respeito as transações entre as contas de Queiroz e de sua filha Nathalia Melo de Queiroz.

As investigações identificaram junto ao nome de Nathalia, sem especificar os valores das transferências, montante de R$ 84 mil. Nathalia exerceu a função de secretaria parlamentar no gabinete de Bolsonaro na Câmara Federal, até sua exoneração em 15 de outubro deste ano, data em que seu pai também fora exonerado a pedido, como assessor de Flavio, na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (ALERJ). Queiroz tem muito que explicar e a família Bolsonaro muito a se preocupar, pois uma eventual conexão entre tais contas é substância para macular a imagem de um governo eleito sob o manto da total e indiscutível honestidade.

Mesmo que não haja vínculo entre os montantes citados, a investigação está em curso, não se pode encobrir as relações de estreita amizade e confiança entre a família Bolsonaro e Queiroz, o que de qualquer forma gera dúvidas e suspeitas, contradizendo o discurso de um governo constituído pela “nata da honestidade”. Por exemplo, o ex-assessor já foi homenageado, tanto na ALERJ, quanto na Câmara de Vereadores do Rio, por iniciativa dos irmãos Flávio e Carlos Bolsonaro, respectivamente. Entre elogiosos adjetivos e medalha de mérito, Queiroz é alçado à condição de “brilhante” e de ter “excepcional comportamento”.

Leia texto completo na edição do jornal O Dia Alagoas desta semana, já nas bancas!! 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados