Chefe do DM do CSA, Fábio Lima, explica cenário com 18 infectados pela Covid-19

Por Thiago Luiz - Estagiário | Edição do dia 12 de agosto de 2020
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano


Depois da divulgação de 18 jogadores infectados pela Covid-19 no CSA, o chefe do Departamento Médico (DM) do clube, Fábio Lima, tranquilizou a torcida, afirmando que alguns jogadores que estão assintomáticos já voltaram a treinar de forma on-line. E sobre a sequência da Série B, o especialista acredita que a competição não seja suspensa e sofra apenas ajustes no calendário, como foi o caso do adiamento da partida do Azulão contra a Chapecoense.

Os jogadores foram divididos em dois grupos: aqueles que não apresentam sintomas, estão sendo acompanhados de forma virtual para realização de atividades físicas. Já os que estão com alguma limitação física, permanecem em repouso para evitar complicações clínicas.

“Durante um ou dois jogos pela frente teremos dificuldade física, mas preciso lembrar que o CSA também vinha de uma sequência pesada de jogos. Isso pode gerar um ganho pelo “descanso” durante esses dias”, afirmou o Fábio Lima.

Segundo o médico, não dá para especificar quando e de onde surgiu a infecção pelo novo coronavírus. Mas, de acordo com estudos feitos sobre a doença e pelo tempo de contaminação, o caminho mais provável de transmissão deve ter sido nas concentrações, período pré-jogo em que os atletas ficam confinados.

Fábio explicou ainda que, desde o retorno aos treinos, o elenco azulino fazia apenas o trajeto de casa para o Centro de Treinamentos. Mas a partir do momento que foi necessário realizar viagens, hospedagens fora de Alagoas e o contato com adversários de outros estados, todos ficaram mais “expostos” à doença.

Mas apesar do grande número de acometidos pela Covid-19, o cenário é de tranquilidade no Azulão. Dos 18 infectados, nenhum apresentou complicações clínicas ou sintomas graves. A grande maioria foi assintomática. Os que relataram aparição de sintomas foram muito leves, como febre, tosse, ou semelhanças à gripe comum. Isso se deve, segundo o especialista, ao fato de jogadores profissionais não terem doenças anteriores e ao vigor físico adquirido por meio dos treinamentos e da rotina de alimentação e suplementação nutricional.

Do lado rival, o CRB divulgou na manhã de ontem que não tem nenhum atleta contaminado pelo coronavírus, mesmo tendo jogado há menos de uma semana contra o Azulão. De acordo com Fábio Lima, é normal que não haja acometidos pela Covid-19 no Ninho do Galo. Mas alerta que há uma “janela epidemiológica” de aproximadamente 14 dias entre a infecção e a detecção laboratorial. Por isso, é possível que atletas do Regatas possam testar positivo nos próximos exames.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados