Cerimônia de boas-vindas ao Time de Refugiados emociona Vila dos Atletas

Os dez atletas refugiados que competem nos Jogos Rio 2016 participaram de evento na noite desta quarta-feira (3)

Cerimônia de boas-vindas ao Time de Refugiados emociona Vila dos Atletas

Os dez atletas refugiados que competem nos Jogos Rio 2016 participaram de evento na noite desta quarta-feira (3)

Por | Edição do dia 4 de agosto de 2016
Categoria: Esportes, Outros Esportes


Membros do Time Olímpico de Refugiados participam de evento na Vila dos Atletas (Foto: Getty Images/David Ramos)

Membros do Time Olímpico de Refugiados participam de evento na Vila dos Atletas (Foto: Getty Images/David Ramos)

 

A noite foi de forte emoção e muitos aplausos na Vila dos Atletas. Formado por 10 atletas de diversas nacionalidades, o Time Olímpico de Refugiados (TOR) participou da cerimônia de boas-vindas, nesta quarta-feira (3), e deixou o ambiente em festa.

Os esportistas tiveram tratamento de estrelas internacionais e mal conseguiam se locomover durante o evento, tamanha a quantidade de pessoas presentes.

 

Nadador sírio Rami Anis empolgou-se ao som de samba (Foto: Rio 2016/Felipe Varandas)

Nadador sírio Rami Anis empolgou-se ao som de samba (Foto: Rio 2016/Felipe Varandas)

 

Um dos mais entusiasmados era o nadador sírio Rami Anis, 25. Além de registrar toda a cerimônia com seu celular, ele fez fotos dos outros atletas e caiu no samba ao final da apresentação.

 

Anis deixou a Síria em meio ao conflito que ocorre no país, com medo de ser recrutado para a guerra. Mais tímida, a também nadadora síria Yusra Mardini passou todo o evento de celular em punho. A jovem ganhou projeção internacional ao ajudar a salvar 20 pessoas de um bote que afundou no Mar Mediterrâneo durante a travessia da Turquia para Grécia. Ela era uma das passageiras da embarcação.

 

James Nyang: interação entre os povos mostra que paz é possível (Foto: Rio 2016/Felipe Varandas)

James Nyang: interação entre os povos mostra que paz é possível (Foto: Rio 2016/Felipe Varandas)

 

Inscrito na prova dos 400m rasos do atletismo, James Nyang Chiengjiek, do Sudão do Sul, afirmou que sua esperança é que o esporte sirva de exemplo para a paz. Atualmente, ele vive no Quênia após fugir dos conflitos em sua terra natal. “A interação entre os povos na Vila dos Atletas é uma das melhores coisas dos Jogos Olímpicos. É absolutamente incrível”, disse.

 

A nadadora nepalesa Garika Singh, de 13 anos, é a mais jovem dos Jogos Rio 2016 (Foto: Rio 2016/Ernesto

A nadadora nepalesa Garika Singh, de 13 anos, é a mais jovem dos Jogos Rio 2016 (Foto: Rio 2016/Ernesto

 

A cerimônia contou ainda com as delegações de Nepal, Mali, El Salvador, Costa do Marfim e Paraguai.

Atleta mais jovem dos Jogos Rio 2016, a nadadora nepalesa Gaurika Singh, de apenas 13 anos, também esteve na cerimônia. Competindo na prova dos 100m costas, ela prometeu a si mesma que faria parte de uma Olímpíada ao assistir aos Jogos Londres 2012. “Só não poderia imaginar que seria tão rápido”, brincou.

Gaurika, que não é uma refugiada, é famosa por suas ações de caridade. Mesmo morando na Inglaterra desde a infância, ela participa de doações e atuou para ajudar as vítimas do terremoto que devastou Katmandu, capital do Nepal, em 2015. Ela estava no país na ocasião, mas escapou ilesa.

 

FONTE: https://www.rio2016.com

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados