Celebração de Bom Jesus dos Navegantes de Penedo

Maior festa popular e religiosa de Alagoas conta com 135 anos de demonstrações de fé, alegria, tradição e amor

Por | Edição do dia 13 de janeiro de 2019
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,,,,


Imagem de Bom Jesus dos Navegantes é transportada com todo o cuidado durante os festejos religiosos em Penedo  (Divulgação)

Imagem de Bom Jesus dos Navegantes é transportada com todo o cuidado durante os festejos religiosos em Penedo
(Divulgação)

O mês de janeiro é marcado por muitas festividades no campo religioso e social, desde as promessas no réveillon, às folias de Rei culminando sempre com as Festas de Santo Amaro e São Sebastião, um prolongamento das festas de Natal e Ano.

A devoção ao Santo Amaro, talvez o santo mais popular do mês, segundo a história teria vindo junto com os descobridores e colonizadores, deste período datam os testemunhos e os padrões mais eloquentes da devoção, que são as capelas mandadas erguer em sua honra e as consequentes romarias a esses centros de devoção, algumas das quais mantidas até os nossos dias, como é o caso consolidado no nordeste.

Em Pernambuco nas cidades de Taquaritinga do Norte que este ano realiza a sua 218ª Festa, talvez a maior realizada no nordeste, compartilhando da devoção, Sirinhaém e Jaboatão dos Guararapes. Já em Alagoas a devoção ganha força no litoral norte do estado, precisamente na pacata cidade de Paripueira. Os dias são repletos de novenas, shows, romarias, leilões e apresentações de cavalhadas encerrando as festividades sempre no dia 15. A devoção a Santo Amaro foi difundida pelos missionários beneditinos, vindos de Pernambuco.

Santo Amaro era beneditino, filho da Ordem de São Bento, cuja localidade São Bento, junto a Maragogi, remete à presença destes monges já por volta de 1717. As ruínas de uma igreja e de um cemitério, ali encontrados, são testemunhas de uma história nas Alagoas. Santo Amaro foi fiel ao seu ideal monástico, ao ponto que todos o achavam perfeito herdeiro espiritual de São Bento, diz à tradição que foi Santo Amaro que substituiu São Bento quando este se transferiu para Monte Cassino.

Consta também que Santo Amaro se distinguiu particularmente por sua aplicação aos estudos. Sendo enviado à França, onde fundou o Mosteiro de Glanfeuil, em Anjou, vindo a falecer em 15 de janeiro de 584. E quando chega o tão esperado “15 de Janeiro” o povo vive na alma o auge da piedade popular, em momento de perfeita felicidade e êxtase com as procissões e romarias. E para o equilíbrio de todos o devocionismo não é coisa só de pobre, mais de todos, que diante de Deus perde as identidades de raça, de classe, cultura ou até mesmo de religião.

   (…)

          LEIA MAIS SOBRE ESSAS E OUTRAS NOTÍCIAS NO O DIA ALAGOAS DESSA SEMANA

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados