Caso Pinheiro: CBTU cobra solução para trecho interditado por afundamento do solo

Reunião aconteceu nesta sexta-feira, 05

Caso Pinheiro: CBTU cobra solução para trecho interditado por afundamento do solo

Reunião aconteceu nesta sexta-feira, 05

Por Redação, com Assessoria | Edição do dia 5 de fevereiro de 2021
Categoria: Maceió, Sem categoria | Tags: ,,


Foto: Reprodução

Uma equipe formada por técnicos da Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU), liderada pelo diretor-presidente, José Marques, e o superintendente de Maceió, Carlos Jorge, se reuniu com representantes da Braskem nesta sexta-feira, 05. O objetivo foi discutir soluções definitivas para o novo traçado da malha ferroviária, interrompida pelo afundamento do solo em bairros da Capital.

Na reunião, o diretor presidente da CBTU cobrou um posicionamento da Braskem diante dos prejuízos causados aos milhares de usuários do transporte ferroviário de Maceió. Desde a interrupção do trecho da ferrovia em Bebedouro e Bom Parto, em abril de 2020, os passageiros passaram a ter como única opção a baldeação feita por ônibus, aumentando o trajeto em mais de 50 minutos.

“Nosso ambiente de negócios é o transporte de pessoas para viabilizar a mobilidade urbana na Grande Maceió. Com o afundamento dos bairros, nosso negócio e o serviço prestado estão totalmente comprometidos”, disse José Marques.

Já segundo Carlos Jorge, o dano causado ao transporte ferroviário é extensivo a todo o trânsito de Maceió. “O VLT é fundamental para a mobilidade urbana de Maceió e deve ser tratado como prioridade nas soluções para a cidade”, afirma.

Ao todo, 11 mil pessoas eram transportadas todos os dias pelos trilhos de Maceió, antes da interrupção do trecho.

Atualizado em: 05/02/2021 as 19h23

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados