Catadores de lixo reciclável voltam às ruas de Maceió

Desemprego e ”retorno da miséria” fazem ressurgir a mendicância nas ruas e crescer a informalidade na cidade

Por | Edição do dia 16 de dezembro de 2018
Categoria: Maceió, Notícias | Tags: ,,,,,


(Foto: Jessyka Soares)

(Foto: Jessyka Soares)

O que o Brasil inteiro ficou sabendo nos últimos dias sobre o empobrecimento da população brasileira já vinha sido sentido fortemente em Alagoas, notadamente nas ruas de Maceió. Os dados são do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) e mostram um País mais pobre e uma concentração de renda nas mãos de muito menos pessoas que em outras épocas.

A mendicância cresceu, o mercado informal está em cada esquina do Centro e de bairros como Jacintinho, Tabuleiro do Martins, Clima Bom e nas calçadas dos bancos. Onde houver fluxo de pessoas, há alguém vendendo algo. O crescimento do desemprego está mandando para as ruas estas pessoas sem perspectivas e sem nenhum tipo de renda. Nem mesmo o benefício do Bolsa Família chega a estas famílias. O que coloca Alagoas numa péssima colocação em relação quem vive abaixo da linha da pobreza.

No trânsito das principais avenidas da cidade há mais do que carros e motocicletas: pessoas puxando carroças na cata de material reciclável para vender. O trabalho duro de 12 horas diárias pode render até R$ 100,00 para o sustento de uma família. Mas o trabalho é degradante, arriscado, insalubre e não dá nenhuma sustentação jurídica. Centenas de pessoas voltaram a esta atividade que haviam abandonado há alguns anos.

Funciona assim: as indústrias produzem o material a ser reciclado, as pessoas sem compromisso com a limpeza da cidade descartam esses produtos (em sua maioria embalagens) nas ruas e os catadores vêm logo atrás, fazendo o recolhimento do que é lixo no local incorreto, mas que pode ser resgatado, acondicionado e “trocado por dinheiro”. A bem da verdade é necessário muito lixo reciclável para render alguns poucos reais. Mas, para quem não tem nada, qualquer quantia ajuda.

  (…)

          LEIA MAIS SOBRE ESSAS E OUTRAS NOTÍCIAS NO O DIA ALAGOAS DESSA SEMANA

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados