Casos de dengue em Alagoas cresceram 140% em junho

Com o foco na prevenção da Covid, os cuidados para erradicar o Aedes Aegypti ficaram em segundo plano

Casos de dengue em Alagoas cresceram 140% em junho

Com o foco na prevenção da Covid, os cuidados para erradicar o Aedes Aegypti ficaram em segundo plano

Por Assessoria | Edição do dia 23 de julho de 2021
Categoria: Saúde | Tags: ,,,,


Foto: Reprodução

Com o foco de campanhas e prevenção direcionado para o coronavírus, muitas doenças ficaram “esquecidas”. Uma delas é a dengue, que tem apresentado um aumento preocupante em Alagoas. Só no primeiro semestre de 2021 mais de 500 casos da doença foram notificados, sendo em junho o maior número, com um aumento de 140% em comparação ao mês anterior. Os dados são do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde.

A principal razão do aumento de casos da doença é o período chuvoso, que provoca o acúmulo de água em terrenos baldios e em construções ou residências abandonadas. A consequência é a proliferação do Aedes aegypti, o mosquito vetor da dengue, zika e chikungunya, deixando a sociedade mais exposta.

E, com o medo do coronavírus, até os primeiros sintomas são confundidos. De acordo com Anacássia Lima, biomédica e professora do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), é importante saber distinguir os sintomas da dengue e da Covid-19, o principal deles sendo que a dengue não costuma causar sintomas respiratórios.

“Ambas têm sintomas comuns como febre, dor de cabeça, dor muscular, dor ao redor dos olhos, cansaço, mal-estar. Mas os sintomas respiratórios, como coriza, nariz entupido, tosse com produção de escarro não costumam ocorrer na dengue, também não são comuns na dengue a dor no peito, falta de ar e alteração do olfato e paladar”, alerta Anacássia Lima.

A especialista lembra que sintomas gastrointestinais como enjoo, vômitos e diarreia também podem ocorrer na Covid-19. Já quanto à dengue, são sintomas peculiares as manchas vermelhas na pele e sangramentos de mucosas, que são sugestivos de casos mais graves.

Combate ao mosquito

É sempre bom lembrar que o Aedes aegypti adora água parada. A solução mais apropriada para interromper o ciclo de proliferação do mosquito é a limpeza de terrenos e caixas d’água e cisternas, deixando estes reservatórios bem fechados, além de eliminar pneus, garrafas e outros recipientes que possam deixar água empoçada.
Para denunciar ambientes abandonados e provável foco de dengue ligue para o canal de denúncias da Prefeitura de Maceió em (82) 3312-5495.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados