Casal pretende obter 20% de aumento real na arrecadação com programa “Alavancar”

Objetivo é reduzir perdas e aumentar a receita nas 15 maiores cidades atendidas pela companhia

Casal pretende obter 20% de aumento real na arrecadação com programa “Alavancar”

Objetivo é reduzir perdas e aumentar a receita nas 15 maiores cidades atendidas pela companhia

Por | Edição do dia 11 de agosto de 2016
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,,


A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) definiu quais estratégias vai utilizar para aumentar a arrecadação e reduzir perdas comerciais nas 15 maiores cidades onde ela opera os sistemas de abastecimento de água e esgotamento sanitário. Para isso, a empresa lançou o programa “Alavancar”, composto por 12 ações.
De acordo com o presidente da companhia, Clécio Falcão, esse programa faz parte do esforço da atual diretoria, em parceria com os funcionários e com apoio do governador Renan Filho, para recuperar a Casal. “Por meio do Alavancar, não tenho dúvidas de que os resultados serão positivos e vamos conseguir cobrir as despesas bem como fazer investimentos na manutenção e melhoria de nossos sistemas”, acrescentou Falcão.
O programa Alavancar tem como uma de suas principais metas alcançar um acréscimo real na arrecadação da Casal de 20% – sem levar em conta o último aumento tarifário – nos próximos 12 meses.
Com esse programa, que nesta terça-feira (9) foi apresentado pelo superintendente de Gestão Comercial e Operacional, Samuel Leite, a gestores das diversas áreas da empresa, a Casal pretende modificar sua matriz comercial. Segundo ele, os 15 municípios escolhidos, entre eles Maceió, representam 85% do faturamento da companhia, que atua em 77 cidades do Estado.
Entre as ações do programa Alavancar – muitas delas já em andamento – estão: aumento das fiscalizações, realização de auditorias comerciais, análise crítica de consumo, atualização de economias (nos casos em que um imóvel era residencial e se tornou comercial), realização de cobranças para evitar a prescrição de débitos, aumento da micromedição (aquisição e instalação de hidrômetros nos locais onde eles ainda não existem), aumento da segurança dos hidrômetros para evitar violações, cobrança de juros e correção monetária de débitos parcelados, atualização de plantas de redes coletoras de esgoto.
“Aquelas que ainda não estão sendo executadas serão postas em prática nos próximos seis meses”, completou o superintendente Samuel Leite. As cidades atendidas pelo programa são as seguintes, além de Maceió: Pilar, Rio Largo, Maragogi, Barra de São Miguel, Palmeira dos Índios, Quebrangulo, Arapiraca, Girau do Ponciano, Batalha, Olho D’água das Flores, São José da Tapera, Santana do Ipanema, Delmiro Gouveia e Piranhas.
Durante o encontro desta terça-feira (9), os gestores também discutiram como o programa Alavancar poderá reduzir o número de ligações desligadas e suprimidas tanto em Maceió quanto nos demais municípios e quais estratégias estão sendo adotadas para evitar a prescrição de débitos, principalmente no caso dos grandes devedores.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados