Casal é vendida por R$2 bilhões e BRK assume serviços da estatal em 13 municípios

Por Redação* | Edição do dia 30 de setembro de 2020
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,,,


Foto: Reprodução/TVB3

A empresa BRK Ambiental Participações S.A foi a vencedora do leilão da Companhia de Saneamento e Abastamento de Alagoas (Casal) realizado na manhã desta quarta-feira, 30. A empresa arrematou os serviços da estatal por R$2,009 bilhões e assumirá o saneamento e abastecimento de Maceió e região metropolitana. Ao todo, serão 13 municípios alagoanos sob o comando dos serviços da BRK.

O leilão aconteceu na bolsa de valores B3, em São Paulo, e contou com a presença da cúpula governamental e de outros políticos.

Ao arrematar os serviços prestados pela Casal, a empresa passará a assumir o saneamento e abastecimento de água de 13 municípios alagoanos pelos próximos 35 anos. Como missão, a concessionária deverá universalizar o abastecimento de água em seis anos e em 16 anos deverá levar a rede de esgoto para 90% da população de Maceió e região metropolitana. A Casal continuará efetuando a captação e o tratamento da água. Após esse processo, a água será vendida para a concessionária poder realizar a distribuição aos usuários.

Além da BRK, até esta terça-feira propostas do consórcio formado pela concessionária paulista Sabesp e Iguá Saneamento; consórcio formado pelas energéticas Equatorial (que já opera o serviço elétrico em Alagoas) e Sonel; consórcio Enops Engenharia e Aviva Ambiental; consórcio Conasa, Zeta e Elo; além das empresas Aegea Saneamento, BRK Ambiental e Águas do Brasil tinham sido encaminhadas.

Além de Maceió, o serviço será ofertado a Atalaia, Barra de Santo Antônio, Barra de São Miguel, Coqueiro Seco, Marechal Deodoro, Messias, Murici, Paripueira, Pilar, Rio Largo, Santa Luzia do Norte e Satuba.

Daqui para frente, concessões como essa serão mais comuns devido ao marco legal do saneamento, que se trata do incentivo de investidores nessa área. Capitaneado pelo Governo Federal, o incentivo tem como intenção abrir o mercado privado aos serviços públicos.

Para o secretário da Fazenda, George Santoro, o arremate em Alagoas trará desenvolvimento ao estado. Porém, para os servidores da Casal, a estatal está sendo privatizada, apesar dos resultados expressivos e crescimento contínuo das receitas e também do lucro.

De acordo com o Sindicato dos Urbanitários, os dados da Demonstração dos Resultados do Exercício (DRE), entre 2016 e 2019, apontam que, nos últimos quatro anos, a empresa acumula lucro de quase R$ 100 milhões (R$ 66 milhões em 2019). Já as receitas têm se mantido acima de R$ 500 milhões.

 

*Com informações da reportagem de Thiago Gomes e Pâmela de Oliveira, do portal Gazetaweb.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados