Câncer de mama: psicólogo alerta para a importância de cuidar da saúde mental

Impacto do diagnóstico, medo de perder a mama e incerteza da cura podem provocar problemas emocionais, como ansiedade e depressão

Por Assessoria | Edição do dia 15 de outubro de 2020
Categoria: Notícias, Saúde


Psicólogo reforça importância de cuidar da saúde mental em meio ao câncer. Foto: Assessoria

O diagnóstico do câncer de mama é uma notícia difícil de receber. No mês de combate e conscientização sobre a doença, os profissionais de saúde mental alertam para a importância de cuidar das emoções e ficar atento ao surgimento de transtornos, como ansiedade e depressão.

De acordo com o Instituto Data Popular, 54% das mulheres com histórico de câncer de mama apontam fatores emocionais, como tristeza, mágoa e rancor, como uma das causas para a doença.

Dr. Carol Costa, psicólogo do Hapvida, afirma que alguns fatores podem ajudar a compreender o estigma que envolve essa patologia. “A palavra câncer, por si só, já carrega um peso de finitude, de morte. No caso das mulheres, a mama é mais que uma simples glândula reprodutiva e também é símbolo de sensualidade e feminilidade”, explica.

ANSIEDADE E DEPRESSÃO DEVEM SER TRATADOS

Devido às consequências do tratamento que o câncer de mama provoca, muitos pacientes podem sofrer com problemas emocionais, como ansiedade, depressão e baixa autoestima. O medo de perder a mama e a incerteza da cura afetam diretamente a saúde mental do paciente.

O psicólogo do Hapvida destaca que contar com o apoio de pessoas próximas e escolher um bom profissional são importantes para o enfrentamento da doença. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), só em 2020, a expectativa é que sejam diagnosticados 66.280 novos casos de câncer de mama no Brasil.

“A mulher tem uma capacidade incrível de resiliência. Então, o acompanhamento psicológico se faz necessário para que ela resgate a vontade de viver e de lutar”, expõe o psicólogo.

PREVENÇÃO

O câncer de mama tem cura se for diagnosticado de maneira precoce e é por esse motivo que a mamografia e o autoxame se fazem necessários. “Todas as mulheres devem ser estimuladas a conhecer o seu corpo para saber o que é e o que não é normal em suas mamas. Cuidar de si é um ato de amor à vida”, finaliza Dr. Carol.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados