Campanha nacional pede prioridade na vacinação com pessoas portadoras da síndrome de down

Pessoas com deficiência intelectual correm de se tornarem vítimas graves da Covid-19

Campanha nacional pede prioridade na vacinação com pessoas portadoras da síndrome de down

Pessoas com deficiência intelectual correm de se tornarem vítimas graves da Covid-19

Por Beatriz Rodrigues - sob supervisão com assessoria | Edição do dia 31 de março de 2021
Categoria: Notícias


“Você ficaria tranquilo se soubesse que a Covid-19 é 10 VEZES mais mortal em pessoas com síndrome de Down (T21)? Não, né? ” essa é a frase de impacto da campanha, Lançada neste mês de Março, nomeada de Uma “Dose de Respeito” feita pela Federação Brasileira das Associações de Síndrome de Down, que chama a atenção das autoridades para prioridade da vacinação para pessoas portadoras de síndrome de down,.

No cenário atual, mesmo estando no grupo prioritário, pessoas com síndrome de Down (T21) só serão vacinadas na 3ª fase do Programa Nacional de Imunizações (PNI), junto ao grupo de pessoas com comorbidades. Essa priorização já está prevista em lei e o que está sendo reivindicado é que ela seja cumprida.

A instituição amor 21 que é responsável por acolher a comunidade com síndrome de down, se reuniu a petição que cobra agilidade na vacinação do portadores da T21, e alega que muitos estados já iniciaram a campanha para esse segmento. “Vários Estados já iniciou a vacinação como Piau, Natal, Rio de Janeiro aprovou hoje a lei dando prioridade, e nós esperamos que Alagoas seja o próximo.” diz um dos integrantes da instituição.

Muitos países já aderiram à priorização da vacinação para pessoas com síndrome de Down (T21) junto com o grupo de idosos: os do Reino Unido, Holanda, Alemanha, França, Portugal, Itália e em alguns estados dos Estados Unidos. No Brasil, a aderência é pouca e por isso a mobilização é importante.

Há estudos científicos que comprovam essa necessidade, como explica a Dra. Ana Claudia Brandão, membro do Comitê Técnico Científico da Federação Brasileira das Associações de síndrome de Down: “o curso da infecção é mais grave e que as taxas de complicações e
mortalidade são significativamente mais elevadas nas pessoas com Down do que na população geral. Confirma também um risco muito elevado de Covid-19 grave naqueles com mais de 40 anos, que pode ser comparado às pessoas de 70 anos, com uma chance3 x maior de morte”, completa ela.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados