Calheiros ironiza Pazuello: ele quer depor remotamente porque é contra a aglomeração

General Pazuello informou à CPI estar de quarentena por ter tido contato com pessoas infectadas com o novo coronavírus

Calheiros ironiza Pazuello: ele quer depor remotamente porque é contra a aglomeração

General Pazuello informou à CPI estar de quarentena por ter tido contato com pessoas infectadas com o novo coronavírus

Por Redação* | Edição do dia 4 de maio de 2021
Categoria: Notícias, Política | Tags: ,,


O ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello deve ser ouvido pela CPI da Pandemia no dia 19 de maio. O depoimento dele estava marcado para a manhã desta quarta-feira (5), mas o Comando do Exército informou à CPI que o ex-ministro, general da ativa, está em quarentena após ter contato com duas pessoas com covid-19.

General Pazuello durante visita a shopping sem máscara / Foto: reprodução – Instagram

No documento enviado por Pazuello e encaminhado pelo Comando do Exército à CPI, o ex-ministro afirmou que poderia manter a data da audiência, com sua participação ocorrendo de forma remota, ou o depoimento poderia ser adiado. O presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM), propôs então o adiamento e a nova data para o depoimento, que foi aprovada pelos integrantes da comissão.

Aziz afirmou que depoimentos remotos devem utilizar estrutura do Senado para evitar quedas de conexão e garantir que o depoimento seja realizado sem intercorrências, mas isso não seria possível sem alguma antecedência. O presidente da CPI afirmou que não vai permitir que depoentes aleguem quedas de conexão para se esquivar de perguntas, por isso a opção pelo adiamento.

Eduardo Pazuello foi o ministro que ficou mais tempo à frente da Saúde durante a pandemia do novo coronavírus: dez meses. Sua convocação para depor foi aprovada na última quinta-feira (29). No requerimento feito pelo relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), este afirma que os depoimentos dos ex-ministros da Saúde são imprescindíveis para elucidar as providências tomadas pela pasta para enfrentar a pandemia.

Durante coletiva realizada após os trabalhos desta terça-feira (4), Renan Calheiros pediu a palavra e alfinetou o ex-ministro. “Sobre a ausência, amanhã, do depoimento do ex-ministro Pazuello. Isso caracteriza perda e ganho. Perda porque nós só vamos ouvi-lo no dia 19, e ganho porque parece que está havendo uma conversão: ele quer depor remotamente porque é contra a aglomeração.”

Veja o trecho:

*Com informações da Agência Senado

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados