BRK investe R$ 1 milhão em modernização de três Estações Elevatórias de Esgoto de Maceió

Prestes a assumir os sistemas de água e esgoto da Região Metropolitana de Maceió, em 1º de julho, nova concessionária realiza investimentos que já beneficiam o dia a dia da população

BRK investe R$ 1 milhão em modernização de três Estações Elevatórias de Esgoto de Maceió

Prestes a assumir os sistemas de água e esgoto da Região Metropolitana de Maceió, em 1º de julho, nova concessionária realiza investimentos que já beneficiam o dia a dia da população

Por Assessoria | Edição do dia 25 de junho de 2021
Categoria: Alagoas | Tags: ,,,


Com a operação marcada para iniciar no dia 1º de julho, a BRK Ambiental já vem criando o ambiente favorável para uma atuação mais eficaz na Região Metropolitana de Maceió. A empresa, que venceu no ano passado a concessão dos serviços de saneamento para a capital alagoana e mais 12 municípios, está na reta final da operação assistida junto com a Casal e já começou a dar os primeiros passos para transformar a realidade da população.

Neste mês de junho, as equipes de operação da BRK Ambiental deram início ao processo de automação de Estações Elevatórias de Esgoto (EEEs). A ação de modernização, orçada em R$ 1 milhão, já beneficiou as EEEs Praça Lions, Salgadinho e Treze de Maio após uma série de vistorias, montagem de painéis elétricos e de controle, além de adequações técnicas dos locais que receberão as novas tecnologias.

Moradora das imediações da Praça Lions, a publicitária Camila Guimarães conta que o mau cheiro do local incomoda os moradores há anos. “Moro aqui há 21 anos e esse problema do mau cheiro que vem da estação é recorrente. Tem época que evitamos até abrir as janelas do apartamento”. Com os investimentos da BRK Ambiental, essa realidade mudará através da manutenção e limpeza periódicas e do monitoramento operacional constante por meio da tecnologia.

De acordo com Wilson Bombo, gerente de operação da BRK Ambiental em Alagoas, a ação é de extrema importância para evitar transtornos nas comunidades, como mau cheiro e transbordo de esgoto, e oferecer mais controle e qualidade nos serviços oferecidos à população.

“Já são mais de três meses de preparação para chegarmos até aqui. Uma unidade com controle automatizado de nível e de funcionamento dos equipamentos faz com que tenhamos segurança operacional. Podemos visualizar qualquer variação em tempo real. Se uma bomba parar de funcionar, por exemplo, iremos receber um alarme no momento da parada para que possamos, inclusive, enviar equipes de reparo, melhorando assim o tempo de atendimento às demandas e de resolução dos problemas”, destacou.

Segundo Bombo, com a automação é possível ainda realizar o redirecionamento de pessoas para outras atividades, reforçando outras frentes de trabalho e garantindo a manutenção de serviços com eficiência. “O que está acontecendo é uma modernização das unidades, com a instalação de novos equipamentos que vão aumentar a vida útil dos que já existem. Ao mesmo tempo, estamos respeitando os potenciais humanos e redirecionando aquelas pessoas que antes tinham a função exclusiva de ‘apertar um botão’ para atividades ainda mais produtivas, valorizando essa mão de obra”, disse o gerente de Operação.

Rotas Operacionais

Além da automação, o trabalho de rotas operacionais das elevatórias de esgoto já foi iniciado. Nelas, as unidades elevatórias de esgoto que ainda não foram automatizadas em Maceió são visitadas para avaliar a operacionalidade, identificar possíveis problemas nos equipamentos e organizar a abertura de chamados para as equipes de manutenção eletromecânica e de redes, por exemplo.

Há, também, um trabalho com foco no processo de manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos elétricos e mecânicos, que ainda permanecem sob operação da Casal até o dia 30 deste mês. A rota de coleta é realizada durante 24 horas por dia em todos os dias da semana. Vale destacar que, antes da chegada da BRK, este trabalho era realizado apenas durante o dia.

“Nestas rotas operacionais também iremos registrar o nível dos poços úmidos, o funcionamento dos componentes eletromecânicos, de operação e de conservação das unidades. Avaliaremos o nível dos poços de visita da rede coletora de esgoto e as condições das bombas para evitar problemas, como represamento nos coletores e extravasamentos de esgoto na rua”, destacou o coordenador de coleta e distribuição, Micaías Santos.

A proposta, nesta fase, é identificar as lacunas, prever dificuldades e implantar soluções para o início da operação, marcada para 1º de julho. Ainda neste mês, também está no cronograma da equipe de Operação a realização de reparos de vazamentos de água de pequeno porte.

A concessão da BRK Ambiental na Região Metropolitana beneficiará cerca de 1,5 milhão de pessoas, nos municípios de Atalaia, Barra de Santo Antonio, Barra de São Miguel, Coqueiro Seco, Maceió, Marechal Deodoro, Messias, Murici, Paripueira, Pilar, Rio Largo, Santa Luzia do Norte e Satuba.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados