Bolt diz estar 100% recuperado para sua última Olímpiadas

Bolt diz estar 100% recuperado para sua última Olímpiadas

Por | Edição do dia 9 de agosto de 2016
Categoria: Esportes, Outros Esportes


 

Não tem jeito. Por onde ele passa é sinônimo de agito. Faltando duas horas para o início do evento, marcado para as 18h, a Cidade das Artes já estava tomada por jornalistas do mundo todo com o mesmo objetivo: ouvir Usain Bolt. E ele não decepcionou. Entrou no palco pedindo aplausos e arrancando gargalhadas do auditório.

08082016_bolt_coletiva.jpg

O jamaicano reforçou que esta será sua última participação em Jogos Olímpicos e, além de mais medalhas de ouro, quer bater o recorde mundial. “Sim, será a minha despedida olímpica. Eu adoro isso. O atletismo é a minha vida e por isso vou dar o meu melhor nesse campeonato”, disse o velocista que um mês antes do Rio 2016 sofreu uma lesão na coxa durante a seletiva para os Jogos.

Recuperado e garantido nas provas dos 100m e 200m rasos, além do revezamento 4 x 100m, Bolt pode chegar a nove medalhas de ouro (ele soma seis ouros olímpicos, conquistados em Pequim 2008 e Londres 2012 nos 100m, 200m e revezamento). “Não é a temporada mais perfeita. Perdi algum tempo de preparação, mas estou treinando e meu corpo está bem”, explicou o atleta, de 29 anos.

Questionado sobre as impressões e recepção no Brasil, o Raio aprovou tudo até agora. “A pista está boa. Não tenho mesmo do que reclamar. Já estive no Brasil outras vezes, corri na praia. É bom sentir o carinho das pessoas. Espero que seja assim no estádio. Meu único problema foi ter que comprar uma TV”, disse o atleta divertindo, mais uma vez, os jornalistas.

Quase no fim da entrevista coletiva, um repórter norueguês pediu o microfone, mas queria apenas dizer o quanto admira a lenda e cantou um rap para ele. O jamaicano retribuiu com um registro de seu próprio telefone celular. Antes de deixar o palco, Bolt foi contaminado pelo ritmo carnavalesco, tipicamente brasileiro, com a entrada da bateria e passistas de uma escola de samba. Ele dançou, fez fotos, agradeceu e saiu acenando para a plateia.

Apesar de descontraída, a noite ganhou tom de despedida quando o compatriota de Bolt, Asafa Powell, 33, ex-recordista mundial, também anunciou a aposentadoria das Olimpíadas após os Jogos do Rio de Janeiro. “Minhas pernas precisam descansar”, disse Powell, que teve sua marca superada pelo próprio companheiro Usain Bolt em 2008.

Valéria Barbarotto, brasil2016.gov.br

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados