Atirador do Francês é transferido para o presídio

Cícero Andrade de Souza atirou contra funcionários de um bar do Francês e atingiu duas pessoas

Atirador do Francês é transferido para o presídio

Cícero Andrade de Souza atirou contra funcionários de um bar do Francês e atingiu duas pessoas

Por Redação | Edição do dia 22 de fevereiro de 2021
Categoria: Notícias, Polícia | Tags: ,,


O empresário agropecuarista Cícero Andrade de Souza atirou contra funcionários de um bar no Francês (Foto: Divulgação)

O empresário agropecuarista Cícero Andrade de Souza foi levado para o sistema prisional de Alagoas, no bairro Cidade Universitária, em Maceió, no domingo (27). Ele teve a prisão preventiva convertida em prisão em flagrante pela juíza plantonista Marclí Guimarães de Aguiar.

Leia também:
Atirador do Francês tem prisão preventiva convertida em prisão em flagrante
Atirador do Francês é preso em megaoperação da polícia no Aldebaran
Empresário bêbado atira contra funcionários de bar na Praia do Francês

Cícero estava detido na sede da Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic) desde que foi preso no sábado (20).

O delegado coordenador da Deic, Gustavo Xavier, disse que a arma usada pelo empresário para atirar contra garçons na Praia do Francês na sexta-feira (19) era legalizada. “Ele tinha porte de arma concedido pela Polícia Federal desde 2018, mas está claro que ele não tinha condições de estar armado”, afirmou o delegado.

Cícero foi preso durante uma megaoperação realizada pelas forças de segurança do Estado no condomínio de luxo Aldebaran, localizado na parte alta de Maceió. Um helicóptero foi usado para impedir a fuga do homem.

Um vídeo divulgado na mídia mostra o empresário junto de outras pessoas em um bar na areia da Praia do Francês, quando levanta cambaleando e agride um dos garçons. Após revidar, o funcionário do bar foi atingido por um disparo de arma de fogo e outro trabalhador também foi atingido de raspão. A polícia informou que Cícero atirou pelo menos 17 vezes, colocando a vida de todos que estavam no local em risco.

Os funcionários foram socorridos e não correm risco de morte.

Cícero Andrade de Souza confessou em depoimento para a juíza Marclí Guimarães que ainda no bar (praia) desferiu dois tiros em direção às vítimas e, já no estacionamento, cerca de dez tiros. De acordo com ela, tudo para engrenar sua fuga do local dos fatos. A juíza ponderou que isso evidencia “uma periculosidade incompatível com o convívio em sociedade e nítida sensação de impunidade”.

A magistrada cita ainda em sua decisão que nos autos é revelada uma tentativa do empresário de conseguir livrar-se da prisão. “O flagranteado, ao tomar conhecimento de que equipes policiais diligenciavam para efetuar sua prisão em flagrante, evadiu-se de sua residência localizada no Condomínio Aldebaran Ômega, utilizando-se de um outro veículo (que não a Toyota SW4 cuja placa foi anotada no local do crime, mas, sim, um Toyota Corolla), em nítida tentativa de cravar sua apresentação espontânea, transmudando o que seria a lavratura de Auto de Prisão em Flagrante em mero Auto de Apresentação”.

A juíza diz ainda que as testemunhas foram “uníssonos” em afirmar que Cícero Andrade de Souza, “por reiteradas vezes, assediou as garçonetes e humilhou os garçons” e que um dos donos do estabelecimento ao tentar contornar a situação também foi vítima de “tentativa de homicídio”.

Confira os vídeos do crime e da operação que resultou na prisão do empresário:

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados