Às vésperas da sentença de Moro, Lula lidera isolado para 2018

Pesquisa do Datafolha mostra Lula como vencedor em todos os cenários de uma candidatura à presidência nas eleições do próximo ano

Por | Edição do dia 26 de junho de 2017
Categoria: Notícias | Tags: ,,,,


Marina Silva e LulaA mais recente rodada da pesquisa Datafolha para a eleição presidencial mostra que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) continua sendo o nome mais forte para as eleições de 2018. Em todos os cenários em que aparece, o petista tem ao menos 29% de intenções de voto, sempre com o dobro do segundo colocado.

Em simulações de segundo turno, Lula teria vantagens significativas contra os tucanos Geraldo Alckmin e João Doria e contra o deputado Jair Bolsonaro (PSC). O juiz Sergio Moro e a ex-senadora Marina Silva(Rede) aparecem empatados com Lula, sendo que o magistrado surge numericamente à frente.

Com o senador Aécio Neves (MG) atolado em denúncias de corrupção, o Datafolha testou apenas dois candidatos do PSDB em simulações de primeiro turno – o governador Geraldo Alckmin e o prefeito João Doria, ambos de São Paulo.

Com Alckmin, Lula teria 30%, seguido por Bolsonaro (16%) e Marina (15%), Alckmin (8%), Ciro Gomes, do PDT, com 5%. O ex-deputados Luciana Genro (PSOL) e Eduardo Jorge (PV) e o senador Ronaldo Caiado teriam 2% cada um. Outros 20% votariam em branco, nulo ou ainda não sabem.

Com Doria, a situação é semelhante. Lula manteria os 30% e Bolsonaro e Marina ficariam empatados com 15% na segunda colocação. Doria aparece com 10% e Ciro Gomes com 6%. Luciana Genro, Eduardo Jorge e Caiado seguem com 2%.

A entrada do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa na corrida embolaria a disputa pelo segundo posto. Em um dos cenários, Lula continuaria líder com 29%, seguido por Marina e Bolsonaro (15% cada). Barbosa teria 11% e Alckmin, 8%. Luciana Genro, Eduardo Jorge e Caiado seguem com 2%, enquanto 16% dizem votar branco, nulo ou ainda não saberem.

Em outro cenário com o ex-ministro do STF, Lula fica com 29%, seguido por Marina (15%), Bolsonaro (13%), Barbosa (10%) e Doria (9%). Luciana Genro e Eduardo Jorge manteriam 2% e Caiado ficaria com 1%. Outros 17% votariam branco, nulo ou não sabem.

Barbosa vem sendo cortejado por diversos partidos, mas ainda não anunciou candidatura. Uma das legendas que o procurou é a Rede, de Marina Silva, que cogita colocar os dois na mesma chapa.

Em uma simulação com Moro candidato, o juiz, responsável pela Operação Lava Jato em primeira instância, ficaria em segundo lugar, com 14%, empatado com Marina (14%) e Bolsonaro (13%). Alckmin teria 6%. Genro e Jorge manteriam 2% e Caiado ficaria com 1%. Outros 17% votariam branco, nulo ou não sabem.

Como o ex-presidente Lula responde a diversos inquéritos na Lava Jato e pode ser barrado do pleito caso sofra uma condenação em segunda instância, o Datafolha testou outro petista em um dos cenários, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad. Ele teria apenas 3% de intenção de voto, atrás de Marina Silva (22%), Bolsonaro (16%), Joaquim Barbosa (13%), Alckmin (10%) e Luciana Genro (4%). Sem Lula, o número de indecisos e votos brancos e nulos iria a 28%.

Segundo turno

No segundo turno, Lula continua mostrando força. O ex-presidente aparece mais de dez pontos à frente de Alckmin (45% a 32%), Doria (45% a 34%) e Bolsonaro (45% a 32%). Contra Marina Silva, ambos teriam 40%. Em uma disputa entre Moro e Lula, o juiz iria a 44%, contra 42% do petista, diferença dentro da margem de erro da pesquisa, de 2 pontos percentuais para cima ou para baixo.

Marina Silva venceria Bolsonaro no segundo turno (49% a 27%), enquanto Ciro Gomes estaria empatado com Alckmin (31% a 34% do tucano) e Doria (34% a 32% do tucano).

O Datafolha ouviu 2.771 eleitores em 194 municípios entre 21 e 23 de junho.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados