Arquidiocese de Maceió define reabertura das igrejas para o dia 15 de agosto

A informação foi repassada pelo Arcebispo Metropolitano de Maceió

Por Assessoria | Edição do dia 31 de julho de 2020
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,


Após estudos realizados por uma comissão formada por médicos, padres e religiosos; a Arquidiocese de Maceió definiu para o dia 15 de agosto o retorno das celebrações presenciais. A informação foi repassada pelo Arcebispo Metropolitano de Maceió, Dom Antônio Muniz Fernandes, O.Carm., durante transmissão da missa direto da residência episcopal nesta sexta-feira (31).

“A pandemia causada pelo novo coronavírus, nos ensinou em meio a tantas aflições, novas direções para construir um mundo melhor e semear esperança. Nos diz para ter uma atitude inclusiva juntos aos necessitados e aos sofrimentos das pessoas em suas mais variadas situações locais. De um modo muito pessoal, abrir as portas da igrejas é fácil, contudo é preciso aprender um novo estilo de vida e combater assim, o vírus do egoísmo e dos interesses privados; e para isso, a Igreja se faz presente como mãe, mestra e educadora”, dirigiu-se ao povo.

“Se todos os seguimentos contribuírem, nós venceremos todas as pandemias que aconteçam”, e reforçou que o protocolo segue as orientações das autoridades públicas em saúde.

O metropolita lembrou que o retorno das missas acontece na Solenidade De Nossa Senhora da Assunção e no início da festa de Nossa Senhora dos Prazeres, padroeira da Arquidiocese.

“Que Deus nos dê força e sabedoria, a mim como pastor; e aos padres e administradores paroquiais, que servem em missão na nossa Igreja Arquidiocesana. Cumpra-se com obediência e boa vontade tudo aquilo que está promulgado e decretado. Que Deus nos abençoe e Nossa Senhora dos Prazeres anime com suas alegrias, a nossa esperança. Amém.”, finalizou.

Na última quarta-feira (29) foi divulgado aos padres, o protocolo sanitário que deve ser seguido nas paróquias de todo o território arquidiocesano.

Nas orientações gerais, as igrejas devem disponibilizar os assentos com pelo menos 1,5 metro de distância entre as pessoas, com as devidas marcações; disponibilizar álcool em gel 70% na entrada e o uso obrigatório de máscaras dentro do templo.

Durante toda a celebração, as portas e janelas devem permanecer abertas; inclusive para a entrada e a saída dos fiéis, de modo a favorecer um fluxo mais seguro e evitar que as portas sejam tocadas. Pessoas que estão no grupo de risco devem por enquanto, acompanhar as celebrações somente pelas redes sociais.

Sobre a higienização dos espaços celebrativos, o protocolo estabelece a limpeza pelo menos três vezes nos dias em que houver missas; limpeza dos objetos litúrgicos, assim como microfones, pedestais, e outros materiais ao fim de cada celebração.

Na entrada da igreja, deve ser colocado um cartaz com as indicações essenciais, entre as quais não devem faltar: o número máximo de participantes em relação à capacidade do espaço e as medidas de higienização.

As reuniões pastorais devem ser realizadas apenas quando necessárias, dentro dos mesmos protocolos de saúde pública quanto à higiene e distanciamento social. A catequese de adultos e crianças fica suspensa durante esta fase e as igrejas devem permanecer abertas mesmo quando não haja celebração, para oração pessoal dos fiéis.

O protocolo detalhado está disponibilizado aos padres, contendo também as devidas orientações para as celebrações dos demais Sacramentos.

Todas as orientações devem ser passadas pelas redes sociais das paróquias e antes de cada celebração.

Devido às normas de prevenção por causa da Covid-19, as missas estão no momento com público reduzido, seguindo às diretrizes da diocese, tendo como sugestão as inscrições. Elas devem ser individuais, podendo ser realizadas por e-mail, valendo apenas para a missa dominical.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados