Argel minimiza críticas da torcida e afirma que vai reconquistar a confiança no CSA

Por Thiago Luiz | Edição do dia 1 de setembro de 2020
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano | Tags: ,,,


Diante de toda polêmica envolvendo a volta do técnico Argel Fuchs ao CSA, que foi anunciada na tarde de ontem (31), em entrevista coletiva o treinador se mostrou otimista para a temporada de 2020. Argel trocou o Azulão pelo Ceará, em novembro do ano passado, quando faltavam apenas três rodadas para o fim da Série A. O Vozão brigava diretamente com o time marujo na luta contra o rebaixamento.

A decisão de ir embora do Mutange, revoltou a torcida e fez guardar mágoa desde aquela época. À frente da equipe mais uma vez, o técnico se mostrou arrependido: “Hoje existe um contrato, ano passado não existia. Agora, se você me perguntar se eu tomaria a mesma decisão, a vida me mostrou que tomei uma decisão errada. E eu tenho a humildade de reconhecer isso. Não é demagogia, não é feio. Na vida, você está sempre aprendendo. Nós vamos trazer o torcedor de volta é ganhando, com resultados. Se conseguirmos um resultado bom na quarta, já começamos a trazer o torcedor. O objetivo hoje do CSA é voltar à Série A”.

Treinador diz que vai implementar sua filosofia de trabalho. Foto: Augusto Oliveira/Ascom CSA

E fazendo alusão à sua volta, Fuchs comparou com a trajetória de outros treinadores que atuaram em clubes do Brasil: “Isso não aconteceu só com o Argel. Aconteceu com o Rogério Ceni, que saiu do Fortaleza, foi para o Cruzeiro, não deu certo e voltou para o Fortaleza. Aconteceu com Enderson Moreira, que estava no Ceará e acabou indo para o Cruzeiro. Eu tinha um acordo verbal com o CSA (em 2019) e houve uma insistência por parte do Ceará, que me procurou três vezes, muito pelo trabalho que a gente conseguiu desenvolver. Não podemos esquecer que pegamos o CSA virtualmente rebaixado no Campeonato Brasileiro e conseguimos dar uma volta na competição, sair da zona do rebaixamento”, afirmou Argel.

Ainda de acordo com o gaúcho, o trabalho que precisa ser desenvolvido no cenário atual é muito parecido com o de 2019: “Precisamos formar um time mais competitivo, mais aguerrido. O time tem uma qualidade técnica muito boa, mas só a qualidade técnica não chega para você conseguir o objetivo na Série B. Agora tem que pensar jogo a jogo. O que a gente tem observado é que esse grupo tem qualidade técnica. Vamos colocar nossa metodologia de trabalho”, completou.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados