Árbitros alagoanos contarão com ajuda de psicólogos para apitar jogos

Por | Edição do dia 21 de outubro de 2015
Categoria: Esportes, Futebol Alagoano | Tags: ,,,,


Marcelo Alves – Repórter

 

Mal o Campeonato Alagoano de 2016 teve sequer início com a discussão do arbitral, já iniciaram as críticas contra a arbitragem local. Dirigentes de clubes chamam a atenção para o fato de os clubes tidos como de porte pequeno serem prejudicados no apito quando encaram os times tradicionais, que possuem grande número de torcedores. Para o presidente da Comissão Estadual de Arbitragem de Futebol (CEAF), Hércules Martins, estas reclamações fazem parte da cultura do esporte e que vai contratar um psicólogo para diminuir pressão sobre os juízes. “O time perdedor sempre culpa o árbitro pelo resultado, mas quando uma equipe ganha nunca reconhece o bom trabalho do árbitro”, disse Hércules Martins.

Durante o Fórum do Futebol Alagoano, que aconteceu na tarde da terça-feira (21), no auditório do estádio Rei Pelé, Hércules Martins expôs a nova metodologia de trabalho da CEAF para o Estadual do próximo ano, bem como anunciou a contratação de um psicólogo para prestar atendimento aos árbitros antes e depois dos jogos. De acordo com presidente da comissão, Alagoas é o único estado do País que não possui um profissional da área de psicologia atuando com ao juízes das competições.

O anúncio da contratação de um psicólogo pela CEAF agradou aos dirigentes que estiveram presentes ao Fórum. Os presidentes-executivos do Coruripe, Alfredo Raildo, e do CEO, Manoel Bezerra, aproveitaram a oportunidade para parabenizar e exigir que este profissional seja contratado com urgência, pois segundo eles, os times “pequenos” sofrem com os árbitros que não estão preparados para apitar jogos sob pressão.

Alfredo Raildo disse que polêmicas envolvendo arbitragem sempre vão acontecer porque todo o ser humano é passível de cometer erros, mas pediu que haja mais preparação para que, na dúvida, os juízes não tomassem decisões que favoreçam os times grandes, temendo a pressão da torcida. “O árbitro deveria saber a pressão que um dirigente de clube passa quando o time perde e a culpa é do árbitro”, disse o cartola. O mandatário do Hulk disse ainda que há árbitros que querem ser o centro das atenções, quando o espetáculo deve ser protagonizado pelos jogadores. “O árbitro que fazer espetáculo”, disse.

HÉRCULES MARTINS

Já Manoel Bezerra contou que em uma disputa de semifinal com o CRB, o CEO foi prejudicado pela arbitragem que, segundo ele, sofreu com a pressão da torcida regatiana presente ao estádio Rei Pelé. “Espero que esse psicólogo venha o mais rápido possível”, disse o cartola. Após sua reclamação, Manoel Bezerra foi questionado por Hércules Martins sobre como foi a atuação do árbitro quando o CEO derrotou o CSA no Rei Pelé lotado. O presidente do CEO sentou-se e disse que a arbitragem estava num dia bom. Após a declaração, risos tomaram conta do auditório.

FÓRUM – O Fórum, que reunião representantes de clubes da 1ª e 2ª Divisão e clubes de base, que disputam os Campeonatos promovidos pela entidade e a imprensa, teve o objetivo de apresentar a nova metodologia de trabalho da Federação nas áreas de competições, jurídico, arbitragem, registro e transferência de atletas e marketing.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados