Árbitro relata ofensa de presidente do Flu: “ladrãozinho”

Por | Edição do dia 29 de outubro de 2015
Categoria: Esportes


LANCE!

 

Na súmula da partida de volta pela semifinal da Copa do Brasilentre Palmeiras e Fluminense, realizada na noite desta quarta-feira, no Allianz Parque, o árbitro Anderson Daronco relatou ter sido chamado de “ladrãozinho” pelo presidente tricolor, Peter Siemsen.

– Ao final da partida e da disputa dos tiros da marca penal, no túnel de acesso ao vestiário da arbitragem, na passagem da equipe de arbitragem, o presidente do Fluminense F.C., Sr. Peter Siemsen, batendo palmas, disse as seguintes palavras: “Mais um ladrãozinho para o bando”. E repetiu mais uma vez a frase – relatou Daronco.

sumula

O Palmeiras venceu a partida por 2 a 1, no tempo normal, levando a decisão da vaga na final para as cobranças de pênaltis, também vencidas pelos paulistas. A irritação de Peter se deu pela marcação de um pênalti para a equipe alviverde. Na cobrança, Diego Cavalieri pegou a bola chutada por Zé Roberto, mas, no rebote, Barrios marcou o segundo gol dos alviverdes.

Na partida de ida, realizada na semana passada, no Maracanã, o presidente do Fluminense também se exaltou com um pênalti marcado para o Palmeiras, xingando o árbitro Leandro Vuaden, que disse ter sido chamado por Peter de “safado, ladrão e pilantra”.

Pelas ofensas aos dois árbitros, Siemsen pode ser denunciado pela Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e ser enquadrado no artigo, o 243-F. Por ofender alguém em sua honra, por fato relacionado diretamente ao desporto, o presidente do Fluminense pode pegar de 15 a 90 dias de suspensão. Além disso pode ter de pagar que pode variar de R$ 100 a R$ 100 mil.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados