Arapiraca se torna referência na regulação de leitos de saúde materno-infantil

Arapiraca se torna referência na regulação de leitos de saúde materno-infantil

Por Assessoria | Edição do dia 27 de abril de 2022
Categoria: Saúde, Ultimas Notícias | Tags: ,,


Fotos: Max Medeiros/Ascom Arapiraca

Arapiraca realizou, nessa terça-feira (26), uma reunião para montagem do fluxo de apresentação e discussão do protocolo de regulação dos leitos maternos e neonatais em toda a 2ª Macrorregião de Saúde, da qual a Capital do Agreste é referência.

O encontro foi conduzido pelas coordenadoras estadual e municipal da Rede Cegonha, Sirlene Patriota e Vilma Caetano, e contou com a presença da secretária Municipal de Saúde, Luciana Fonseca, de representantes do Complexo de Regulação de Leitos de Arapiraca, do Complexo Obstétrico e Neonatal das maternidades locais, e com os Núcleos Internos de Regulação dos Hospitais de Arapiraca.

Foram discutidos com os profissionais da área de Pediatria e Obstetrícia o mapa de vinculação das gestantes de Alto Risco e Risco Habitual, como também a apresentação do protocolo que orienta os profissionais da central de regulação, dos hospitais e do município no que diz respeito ao perfil dos pacientes que necessitam de atendimento.

“A novidade tem como objetivo orientar e ordenar o serviço de forma que a ocupação dos leitos e os procedimentos a serem adotados para transferência de pacientes sejam de forma ordenada e com vinculação garantida para continuidade da assistência adequada para gestante e o neonato”, disse a coordenadora municipal, Vilma Caetano.

A regulação dos leitos para toda a 2ª Macrorregião de Saúde já vem sendo implantado em Arapiraca. Desde setembro de 2021, a Capital do Agreste alagoano conta com o Complexo de Regulação de Leitos Hospitalares, melhorando o acesso do usuário aos serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), promovendo recursos para garantir assistência em tempo oportuno.

De acordo com a coordenadora da Rede de Atenção as Urgências e Emergências, enfermeira Pollyana Vasconcelos, a construção desse novo serviço é coletiva.

“Levando em consideração as suas necessidades, os hospitais solicitam transferência dos pacientes, conforme protocolo apresentado e a depender da avaliação e critério médico, o leito será disponibilizado. A unidade solicitante encaminhará o paciente conforme protocolo instituído pelos serviços”, explicou a enfermeira.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados