Após afogamentos, vereadora cobra base de salvamento aquático na Barra de São Miguel

Por Assessoria | Edição do dia 2 de setembro de 2020
Categoria: Notícias, Política | Tags: ,,,


Foto: Divulgação

A vereadora Silvania Barbosa (PRTB) fez pronunciamento na tarde desta terça-feira, dia 1⁰, durante sessão ordinária, na Câmara de Vereadores, em que lamentou a morte do jovem de 19 anos, vítima de afogamento na Barra de São Miguel, no último domingo (30), e cobrou do poder público a implantação de uma base de salvamento aquático naquele trecho de orla.

“Faço um apelo ao governador e ao Corpo de Bombeiros para colocar ali um ponto fixo com salva-vidas. Eu moro naquela região, quase em frente ao local da tragédia, e acompanhei de longe o ocorrido. Foi desesperador. Fiquei chocada. Apesar de todo o esforço da equipe de resgate, a quem eu quero parabenizar pelo trabalho brilhante, que acabou salvando outras duas vidas, um jovem de apenas 19 anos terminou morrendo. Lamento por não terem conseguido fazer também esse resgate,” relata a parlamentar que fez ainda um alerta sobre as condições de banho naquela área. “A maré ali é alta. Principalmente nos meses de agosto e setembro, acompanhada de ventos fortes. Não precisa conhecer muito de maré para saber que aquele local não é próprio para banho. O lugar ideal é nas regiões acompanhadas por arrecifes,” esclarece a vereadora.

Ainda segundo a parlamentar, o número de afogamento tem crescido muito e na sua opinião, a costa de Maceió e outras regiões de turismo aquático estão desguarnecida. “Não só na Barra de São Miguel, mas na Jatiúca, Ponta Verde, Cruz das Almas, Pontal da Barra. Reconheço que o efetivo é pequeno para a extensão de mar que temos em Alagoas, mas alguns pontos mais visitados por turistas e nativos merecem atenção maior,” destaca.

Pandemia

A vereadora também lamentou a quantidade de pessoas que viu na praia durante o fim de semana. “No momento do afogamento eu notei pelo menos umas três mil pessoas na praia e não tinham nem dez de máscara. Em Maceió, os bares da orla do mesmo jeito, lotados e alguns realizando até minishows. Na periferia a mesma coisa. Fui caminhar na orla de Maceió e fiquei assustada. As pessoas não se tocaram que ainda não estamos livres da COVID. Inclusive, muitas crianças estavam na praia e as pessoas seguem acreditando que como elas são assintomáticas não contraem ou transmitem o vírus. Um erro grave. A pandemia não acabou,” ressalta a vereadora.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados