Aluno surdo da Unit cria plataforma para ensino-aprendizagem de crianças surdas e ouvintes

Projeto venceu Demo Day e foi selecionado por time de investidores para aceleração

Aluno surdo da Unit cria plataforma para ensino-aprendizagem de crianças surdas e ouvintes

Projeto venceu Demo Day e foi selecionado por time de investidores para aceleração

Por Assessoria | Edição do dia 24 de setembro de 2021
Categoria: Alagoas, Educação | Tags: ,,,


Foto: Reprodução

Protagonista. É dessa maneira que o estudante do 10º período do curso de Engenharia Ambiental do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), Paulo Victor Santos, 26, tem tocado a vida como pessoa surda. Para driblar as dificuldades de comunicação com ouvintes, desde cedo buscou vencer a barreira de se comunicar com pessoas, em geral, sem experiência alguma de interagir com o diferente.

Toda sua perseverança e espírito desbravador resultaram na criação da plataforma Teaching Hand (T.Hand), voltada ao processo de ensino/aprendizagem de crianças surdas e ouvintes, proporcionando o entendimento e conhecimento de Libras para a Língua Portuguesa através de uma plataforma bilíngue.

“Sempre sofri com a falta de acessibilidade e comunicação, e foi pensando em diminuir essa angústia que nasceu meu projeto. A T.Hand é uma plataforma responsiva, atualmente precisando ser validada, e está com uma websérie como iniciativa para romper as barreiras comunicacionais”, explica o jovem.

A T.Hand tem tido retorno bastante positivo do público e está na fase de validação, mas já coleciona vitórias: ficou em 1º lugar no “Demo Day Startup University: Time de Investidoras”, no final do último mês, sendo selecionada pela 49 Educação, um programa de aceleração de Startups do Brasil, que contemplou ainda mais quatro projetos.

Este impulso é essencial nos próximos passos da T.Hand, para que a ferramenta seja consolidada como um aplicativo. “Já fizemos um curso com a metodologia e estamos preparando uma turma com conteúdo-piloto. Ambas apresentaram respostas muito positivas. Agora, trabalhamos para validar a metodologia e prototipar para então receber investimento e avançar com a plataforma”, afirma Paulo Victor.

Orientador e amigo

Quem conhece bem, e de bem perto, o desenvolvimento de Paulo Victor é Sérgio Aciolly. Professor do curso de Administração e coordenador do Projeto Mentoria na própria Unit/AL, Aciolly é amigo e orientador do rapaz na criação da startup.

“Conheço o Paulo Victor desde o ensino médio dele. Sempre foi um garoto que, apesar da surdez e barreiras criadas pela deficiência, nunca se furtou em ser o protagonista da própria vida. Após um tempo socializando em sua maioria com outros alunos surdos, ele conseguiu se relacionar melhor porque percebeu que a linguagem era só um detalhe que poderia aproximar as pessoas surdas das ouvintes”, conta o professor, acrescentando que o aluno hoje é um ser humano com enorme desenvoltura.

Para Aciolly, a startup de Paulo Victor tem como proposta estreitar relacionamentos por meio da comunicação da Língua Brasileira de Sinais, as Libras.

“A forma como tudo tem se apresentado no projeto serve justamente para isso. E o bom disso tudo é que os ouvintes estão se apropriando das Libras porque têm percebido que são facilitadoras do processo comunicacional. A T.Hand vem justamente para intensificar a acessibilidade, a inclusão entre ouvintes e surdos e entre surdos e ouvintes”, concluiu Sérgio Aciolly.

Apoio na graduação

Para Paulo Victor, a escolha da Unit para fazer faculdade não foi um evento fortuito. Com o curso técnico em Logística concluído, o estudante e empreendedor conta que optou pela Unit para cursar Engenharia Ambiental porque já sabia da existência do Núcleo de Apoio Pedagógico e Psicossocial (NAPPS) e seu trabalho no apoio a estudantes com deficiência.

“Agradeço à pessoa da psicopedagoga Verônica Wolff Becker por sempre garantir que a acessibilidade fosse plenamente efetivada. Agradeço a Claudia Nascimento, que ao longo de minha graduação, com competência e ética, me acompanha como intérprete. E agradeço ao corpo docente que se permite um olhar inclusivo, contribuindo com minha formação com qualidade e equidade. Por fim, agradeço ao reitor, professor Dario Arcanjo, por sempre demonstrar respeito e apoio”, afirmou Paulo Victor.

E como o mês de setembro conta com o Dia do Surdo, celebrado neste domingo (26), ele não poderia perder a oportunidade de deixar uma mensagem às pessoas ouvintes.

“A mensagem que quero transmitir é se permitam ter um olhar com empatia. A única barreira que nos distancia dos ouvintes é a linguística, e essa pode e deve ser rompida”, disse acadêmico da Unit.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados