Alagoas registra mais 23 mortes e 701 novos casos de Covid-19 em 24h

Ainda há 10.071 casos em investigação laboratorial

Alagoas registra mais 23 mortes e 701 novos casos de Covid-19 em 24h

Ainda há 10.071 casos em investigação laboratorial

Por | Edição do dia 25 de março de 2021
Categoria: Coronavírus | Tags: ,,,


Foto: Reuters/Agência Brasil

O Boletim Epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), desta quinta-feira (25/03), confirma mais 701 novos casos de Covid-19 em Alagoas. Dessa forma, o estado tem um total de 149.697 casos confirmados do novo coronavírus até o momento, dos quais 4.059 estão em isolamento domiciliar. Outros 141.359 pacientes já finalizaram o período de isolamento, não apresentam mais sintomas e, portanto, estão recuperados da doença. Há 10.071 casos em investigação laboratorial. Foram registradas 23 mortes em território alagoano. Com isso, Alagoas tem 3.421 óbitos por Covid-19.

Os casos confirmados de pessoas com a Covid-19 estão distribuídos nos 102 municípios alagoanos. Em relação ao quadro total de óbitos em Alagoas, estão confirmados 3.421 óbitos por Covid-19, mas, oito deles, eram de pessoas residentes em Pernambuco, São Paulo, Santa Catarina e Bahia, tendo como vítimas seis homens e duas mulheres. Dos 3.413 óbitos de pessoas residentes em Alagoas, 1.910 eram do sexo masculino e 1.503 do sexo feminino. Eram 1.540 pessoas que residiam em Maceió e as outras 1.873 moravam no interior do Estado, segundo o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (Cievs), da Sesau.

Para ter acesso ao boletim epidemiológico, baste clicar neste link e baixar os dados da Covid-19.

Óbitos – No boletim desta quinta-feira (25/03), mais 23 mortes foram confirmadas, laboratorialmente, por causa do novo coronavírus, sendo 13 vítimas da capital alagoana e 10 do interior do Estado. As vítimas de Maceió eram sete homens de 32, 41, 46, 63, 76, 77 e 80 anos e seis mulheres de 45, 53, 59, 64, 78 e 80 anos.

O homem de 32 anos era hipertenso e morreu no Hospital da Mulher (MH), em Maceió; o homem de 41 anos tinha obesidade, depressão, hipertensão arterial, diabetes, ansiedade e morreu no Hospital da Unimed Maceió; o homem de 46 anos não tinha comorbidades e morreu no Hospital Universitário (HU) de Maceió; o homem de 63 anos era hipertenso, diabético, cardiopata e morreu no Hospital da Mulher (MH), em Maceió; o homem de 76 anos era hipertenso e morreu também no Hospital da Mulher (MH), em Maceió; o homem de 77 anos era hipertenso, diabético e morreu no Hospital da Mulher (MH), em Maceió; o homem de 80 anos era hipertenso e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; a mulher de 45 anos tinha doença hematológica crônica e morreu na Santa Casa de Maceió; a mulher de 53 anos tinha doença cardiovascular, pneumonia crônica e morreu no Hospital Escola Drº Helvio Auto (HEHA), em Maceió; a mulher de 59 anos não tinha comorbidades e morreu no Hospital Metropolitano de Alagoas (HMA), em Maceió; a mulher de 64 anos tinha obesidade, hipertensão arterial, diabetes, mal de Parkinson e morreu na Santa Casa de Maceió; a mulher de 78 anos não tinha comorbidades e morreu no Hospital Arthur Ramos, em Maceió; e a mulher de 80 anos era hipertensa, diabética e também morreu no Hospital Arthur Ramos, em Maceió.

Em relação às 10 vítimas que residiam no interior do Estado, eram dois homens de 78 anos e oito mulheres, sendo uma de 36, uma de 39, uma de 60, duas de 61, duas de 71 e uma de 101. O primeiro homem de 78 anos, morava em Igaci, tinha doença respiratória crônica, era imunossuprimido e morreu no Hospital Universitário (HU) de Maceió; o segundo homem de 78 anos, era de Delmiro Gouveia, tinha hipertensão, diabetes e morreu no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca; a mulher de 36 anos, era de Santana do Ipanema, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Chama, em Arapiraca; a mulher de 39 anos, era de Porto Calvo, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Regional do Norte (HRN), em Porto Calvo; a mulher de 60 anos, residia em Arapiraca, era diabética, hipertensa, tinha doença cardiovascular e morreu no Hospital Chama, em Arapiraca; a primeira de mulher de 61 anos, morava em Delmiro Gouveia, era hipertensa, diabética e morreu também no Hospital Chama, em Arapiraca; a segunda mulher de 61 anos, era de Arapiraca, tinha hipertensão e morreu no Hospital Regional de Arapiraca; a primeira mulher de 71 anos, morava em Arapiraca, não tinha comorbidades e morreu no Hospital Chama, em Arapiraca; a segunda mulher de 71 anos, era de Igaci, tinha hipertensão, diabetes, doença cardiovascular e morreu no Hospital Regional Santa Rita, em Palmeira dos Índios; e a mulher de 101 anos, era de Campo Alegre, não tinha comorbidades e morreu no Hospital de Campo Alegre.

Leitos de Covid-19 do Estado – Dos 1.185 leitos criados pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) para atender, exclusivamente, pacientes com suspeita e confirmação de infecção pelo novo coronavírus, 836 estavam ocupados até às 16 horas da quarta-feira (24/03), o que corresponde a 71% do total. Atualmente, 327 pacientes estão em leitos de UTI, 19 ocupando leitos intermediários e 490 em leitos de enfermaria. Para acompanhar a evolução da ocupação dos leitos exclusivos para Covid-19, acesse http://www.alagoascontraocoronavirus.al.gov.br/

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados