Alagoano suspeito do assassinato da ex-mulher é preso em Mato Grosso 

O crime aconteceu em junho de 2020 e ele estava foragido desde então

Alagoano suspeito do assassinato da ex-mulher é preso em Mato Grosso 

O crime aconteceu em junho de 2020 e ele estava foragido desde então

Por Thatyana Ferreira - estagiária sob supervisão | Edição do dia 6 de março de 2021
Categoria: Alagoas, Polícia | Tags: ,


Foto: Ilustração

Um alagoano suspeito de assassinar sua ex-esposa a facadas foi preso em Rondonópolis, Mato Grosso. Ele estava foragido desde junho de 2020, mês em que cometeu o crime e fugiu numa tentativa de evitar a prisão. 

O suspeito confessou o crime aos policiais, afirmando que havia assassinado sua ex-companheira, Salomé Paulino da Silva, 30 anos, no dia 13 de junho de 2020. O crime aconteceu em União dos Palmares entre o conjunto Nova Esperança e o loteamento Santa Maria Madalena.

O motivo do feminicídio foi porque Salomé não queria reatar o relacionamento com o acusado.  Eles já haviam se separado diversas vezes e desta vez ela não pretendia tentar uma reconciliação.

Por não aceitar o término ele se aproximou dela em uma área pouco iluminada e com quase nenhuma movimentação de pessoas, localizada entre loteamentos no município de União dos Palmares. Depois de terem se desentendido ele a esfaqueou diversas vezes e fugiu do local do crime. A sentença do suspeito não foi divulgada e ele está a cargo da justiça. 

Feminicídio

Feminicídio é a denominação utilizada para definir o crime de ódio cometido contra mulheres em situação de violência doméstica ou só pelo fato da vítima ser mulher. No Brasil, só nos primeiros seis meses de 2020, 648 mulheres foram vítimas de feminicídio no país.  

Por se tratar de um crime qualificado de homicídio, a penalidade na legislação brasileira pode variar entre 12 e 30 anos de reclusão. Já num homicídio simples a pena prevista é de seis a vinte anos de prisão.

Para denunciar qualquer caso de violência contra a mulher basta ligar para a Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência, no número 180. O serviço é gratuito e não é necessária a identificação do denunciante.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados