AL começa campanha para atualização da caderneta de vacinação da criança e do adolescente nesta sexta (1º)

Ação vai até 29 de outubro e visa evitar surtos de doenças como sarampo, meningite e caxumba

AL começa campanha para atualização da caderneta de vacinação da criança e do adolescente nesta sexta (1º)

Ação vai até 29 de outubro e visa evitar surtos de doenças como sarampo, meningite e caxumba

Por Redação* | Edição do dia 1 de outubro de 2021
Categoria: Saúde | Tags: ,,


Alagoas dá início à Campanha de Atualização da Caderneta de Vacinação das Crianças e Adolescentes menores de 15 anos, nesta sexta-feira (1º). A ação vai acontecer até o dia 29 de outubro e tem como objetivo, segundo o Governo do Estado, ampliar o acesso às vacinas, atualizar os ciclos vacinais, aumentar a cobertura de imunização e homogeneidade, diminuir a incidência das doenças imunopreveníveis e contribuir para o controle, eliminação e erradicação de doenças como o sarampo, meningite e rubéola.

Foto: Carla Cleto

Além da BCG, Hepatite A e B, Penta (DTP/Hib/Hep B), Pneumocócica 10 valente, VIP (Vacina Inativada Poliomielite) e VRH (Vacina Rotavírus Humano) estarão disponíveis as vacinas Meningocócica C (conjugada), VOP (Vacina Oral Poliomielite) e Febre Amarela. As crianças e os adolescentes também devem ser vacinados com a Tríplice viral (Sarampo, rubéola, caxumba), Tetraviral (Sarampo, rubéola, caxumba, varicela), DTP (tríplice bacteriana), Varicela e HPV quadrivalente (Papilomavírus Humano).

Para serem imunizados, crianças e adolescentes devem ser encaminhados, pelos pais ou responsáveis legais, aos postos de vacinação espalhados pelos 102 municípios do Estado, portando a Caderneta de Vacinação. Na ocasião, os técnicos das Salas de Vacinação irão analisar as doses que faltam ser aplicadas, visando completar o esquema vacinal preconizado para o público-alvo.

Caso as crianças e adolescentes apresentem síndrome gripal ou sintomatologia compatível para Covid-19, a vacinação deve ser adiada até que os sintomas desapareçam, com o tempo mínimo de isolamento de 14 dias, a partir do início dos sintomas. Com relação aos casos de pessoas expostas que tenham diagnóstico confirmado para a Covid-19, também deve ser respeitado um intervalo de 14 dias.

“No caso das crianças e adolescentes que apresentem doenças febris, a vacinação deve ser adiada, bem como para os imunossuprimidos que façam uso de corticoides por um período maior que 14 dias, no caso daqueles que usam o medicamento prednisona ou equivalente. Quanto a outros imunossupressores, o adiamento deve ser por três meses”, informou a coordenadora do Programa Nacional de Imunização em Alagoas (PNI/AL), Rafaela Siqueira.

Ainda de acordo com ela, as contraindicações gerais são para as crianças e adolescentes que tenham apresentado alergia grave a qualquer um dos componentes de uma vacina ou após uma dose tomada anteriormente, mediante orientação do Centro de Referência de Imunobiológicos Especiais (CRIE). “As adolescentes que estejam gestantes ficam proibidas de tomar os imunizantes de bactérias atenuadas ou com vírus vivos atenuados”, ressalta Rafaela Siqueira.

*Com assessoria

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados