Acusados de matar casal homoafetivo podem pegar mais de 40 anos de prisão

Médico e companheiro foram assassinados no dia 04 de setembro em Penedo

Acusados de matar casal homoafetivo podem pegar mais de 40 anos de prisão

Médico e companheiro foram assassinados no dia 04 de setembro em Penedo

Por | Edição do dia 9 de novembro de 2018
Categoria: Notícias, Polícia | Tags: ,,,,


(Divulgação)

(Divulgação)

O juiz Antônio Rafael Wanderley Casado da Silva, titular da 4ª Vara de Penedo, marcou para o dia 20 de novembro a audiência de qualificação e interrogatório dos quatro réus acusados de assassinar com o objetivo de roubar um casal no município ribeirinho.

Por determinação do magistrado, Gustavo Augusto Farias Santos, Danilo da Silva de Jesus, Paulo Sergio Zumba Junior e Ednilson Pedro Jessé serão ouvidos a partir das 13 horas, no Fórum Desembargador Alfredo Gaspar de Mendonça, na modalidade de videoconferência.

Os quatro elementos são acusados de terem matado o médico Antônio Francisco Ribeiro, 56 anos, e seu companheiro Lourinaldo Alves Ribeiro, 52, com golpes de arma branca no dia 04 de setembro do corrente ano. O casal foi encontrado sem vida em uma residência situada na Rua São Francisco, Centro do município ribeirinho.

Três dos acusados foram presos horas depois do crime. O quarto elemento, que chegou a ser considerado como foragido da Justiça, se apresentou na manhã do dia 06 de setembro. Na delegacia de Penedo, Danilo da Silva de Jesus resolveu contar tudo sobre o crime, inclusive em entrevista à Rádio Penedo FM (97,3 Mhz e www.penedofm.com.br).

Na oportunidade, Danilo da Silva declarou que o plano era conseguir R$ 10 mil de cada uma das vítimas, mas a ação começou a dar errada quando elas disseram que não tinham todo esse valor na residência. O médico ainda teria chamado um dos elementos para ir com ele ao banco fazer o saque, mas eles não aceitaram e resolveram então amarrar as vítimas enquanto procuravam algo de valor no imóvel. O acusado explicou também que quem esfaqueou as vítimas foi Gustavo Augusto, pessoa que, segundo ele, também teria sido o autor do plano macabro. Gugu, como é mais conhecido, nega essa versão.

O primeiro a ser assassinado, na sala da residência, foi Lourinaldo, que teve cerca de R$ 1200 roubados do bolso de sua bermuda. Já o médico foi morto dentro do banheiro mesmo, onde estava com as mãos e os pés amarrados e amordaçado. Após o crime, os elementos dividiram o dinheiro, limparam a casa e subiram até o bairro de Santa Luzia, onde fizeram um lanche e comemoraram o sucesso do crime brutal e covarde.

O quarteto responde pelo crime de latrocínio, roubo seguido ou precedido de morte. Segundo o Código Penal, a pena do delito em questão varia entre 20 e 30 anos de reclusão.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados