Acusados de homicídio e ocultação de cadáver são presos em Rio Largo

Os suspeitos teriam cometido um assassinato no último domingo, 17, no município

Acusados de homicídio e ocultação de cadáver são presos em Rio Largo

Os suspeitos teriam cometido um assassinato no último domingo, 17, no município

Por | Edição do dia 22 de novembro de 2019
Categoria: Ultimas Notícias | Tags: ,,


Polícia Civil

Foto: Divulgação PC

A Polícia Civil de Alagoas (PC/AL) prendeu nessa quinta-feira, 21, dois acusados de homicídio em Rio Largo. Os acusados Alisson Deyvid de Sousa Buarque, 22, e Wallysson Abriano da Silva, conhecido como “Bruxo”, 25, estariam envolvidos em um caso de homicídio e ocultação de cadáver ocorrido no último domingo, 17, também em Rio Largo. O corpo da vítima foi encontrado .

Segundo o delegado Lucimério Campos, da Delegacia de Homicídios (DH) de Rio Largo, desde a noite dessa quinta-feira, havia a informação de que uma pessoa havia sido seqüestrada no Conjunto Jarbas Oiticica e que continuava desaparecida. A vítima, que ainda não identificada, seria moradora do Conjunto Antônio Lins e teria sido levada por indivíduos que estavam envolvidos com uma facção criminosa. Após o seqüestro, a vítima foi morta e desovada numa mata próxima ao residencial Jarbas Oiticica.

Após denúncia anônima, os policias da DH, com o apoio de militares do 8º Batalhão de Polícia Militar (BPM), localizaram os suspeitos de estarem envolvidos no crime. Eles foram conduzidos até a sede da delegacia e confessaram a autoria do homicídio e ocultação de cadáver.

Os relatos dos suspeitos revelam que a vítima teria cometido roubos no Conjunto Jarbas Oiticica e que, por isso, presidiários ligados a facção criminosa teriam determinado a morte do indivíduo, que foi executada no último domingo, 17. Um dos suspeitos ainda apontou o local onde estava o corpo da vítima e os agentes juntamente a uma guarnição do  Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas (CBM-AL) foram até o local. Os bombeiros foram acionados para a retirada do corpo, já que ele se encontrava em mata fechada e de difícil acesso.

Um dos presos confessou ter recebido a ordem para execução e determinado que outros suspeitos executassem o crime.

Os dois presos foram encaminhados à Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Capital, para apresentação ao delegado de polícia plantonista, a fim de avaliar a possibilidade de lavrar auto de prisão em flagrante pelo crime de ocultação de cadáver.

Um inquérito policial foi aberto na Delegacia de Homicídios de Rio Largo para identificar a vítima, apurar as circunstâncias da morte e responsabilização de todos os envolvidos no ilícito.

“A ação imediata tão logo chegou a notícia da morte foi essencial para esclarecer o crime e prender alguns dos suspeitos, deixando claro à sociedade que as polícias Civil e Militar em Rio Largo não tolerarão o cometimento de crimes na cidade”, disse o delegado Lucimério Campos.

Para ele, a confiança da população no trabalho policial tem sido fundamental para resolver os últimos homicídios no município. “A sociedade tem colaborado por meio de denúncias anônimas e ajudado na prisão de criminosos, o que resultou em mais de 50 mandados de prisão expedidos e cumpridos contra homicidas somente no ano de 2019”, prosseguiu.

A Delegacia de Homicídios continua em diligências para identificar e prender os demais participantes do crime.

Qualquer denúncia pode ser enviada por meio do telefone 181. O anonimato é garantido.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados