“Acho que já endurecemos na medida do possível, não temos capacidade para fiscalizar”, afirma Rui sobre lockdown

Durante entrevista coletiva, na manhã desta terça-feira, 26, Rui Palmeira e Thomáz Nonô informaram sobre ações de enfretamente à covid-19

Por Carol Amorim - Repórter | Edição do dia 26 de maio de 2020
Categoria: Maceió, Notícias | Tags: ,,,


Foto: Reprodução

Em entrevista coletiva realizada na manhã desta terça-feira, 26, o prefeito Rui Palmeira informou que Maceió já adota medidas rígidas de combate ao novo coronavírus e que para a instalação de lockdown, seria necessário mais agentes fiscalizadores, posto que está escasso devido as vítimas da covid-19. No momento, a Guarda Municipal tem quase 70 agentes confirmados com covid-19 e, por tanto, afastados do serviço. Na Polícia Militar foram mais de 400 casos de afastamento, afirmou Palmeira.

Segundo balanço epidemiológico lançado na noite de ontem, 25, pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), Maceió tem 3.848 casos confirmados de covid-19 e acumula 219 vítimas fatais da doença. Em todo o estado foram registrados 6.682 casos e 337 mortes. Sendo assim, a capital continua sendo o epicentro da doença em Alagoas.

No momento, os bairros Jacintinho e Benedito Bentes lideram a lista de bairros com mais casos confirmados para covid-19 e, diante desse fato, Rui informou que a fiscalização nesses locais tem sido reforçada e está sendo diária. Ele atribui o grande número de casos nessas regiões ao alto volume de moradores.

“São bairros com volume muito grande de moradores, bairros populosos. A fiscalização é diária, mas não é fácil. Na Guarda temos quase 70 casos de afastamentos por covid e na PM, fui informado, que tem mais de 400 casos. Com o afastamento, dificulta a fiscalização”, explicou.

Por causa do crescente número de casos na capital, o prefeito foi perguntado sobre um possível endurecimento das medidas de combate a doença por meio de um novo decreto. Como resposta, ele reforçou que medidas rígidas já estão sendo tomadas e que a falta de quantidade suficiente de pessoal para fiscalizar, dificulta na aplicação do lockdown. Como saída para o achatamento da curva de contágio, ele acredita na conscientização da população por meio da informações passadas pelo município e pela imprensa.

“Acho que já endurecemos na medida do possível, não temos capacidade para fiscalizar. Vai faltar fiscalização por falta de pessoal. Nós esperamos contar com a colaboração de cada um, é uma questão muito pessoal, de não levar a doença para sua casa e não contaminar a sua família, porque vai faltar UTI. Tem estados que adotaram o lockdown e não conseguiram fazer a fiscalização como deveria. Estamos no limite e esperamos contar com o cidadão”, explicou.

O secretário de saúde Thomáz Nonô, que também estava na coletiva, opinou sobre a questão e disse que o trabalho agora deve ser focado no convencimento. “Usar o velho carro de som e o que for necessário para que as pessoas se convençam. Isso não é uma atividade policial, temos que convencer”, afirmou.

Unidades sentinelas

Nas regiões que, atualmente, há mais casos confirmados de covid-19, Palmeira enfatizou que a população do Benedito Bentes que precisar, pode procurar assistência na unidade de saúde sentinela (unidade mais completa, com disponibilidade de três médicos) para o trato de síndromes gripais no bairro Graciliano Ramos, bairro vizinho ao Benedito Bentes e também na Central de Triagem, localizada no estacionamento do Shopping Pátio.

Ao se tratar do Jacintinho, o prefeito expôs que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região, instalada pelo Estado, também conta com a assistência para covid-19.

Além disso, o secretário Thomáz Nonô informou que outra unidade sentinela será instalada, na próxima sexta-feira, 29, no bairro Jacarecica. Posteriormente, uma unidade sentinela também será instalada nas proximidades do Pam Salgadinho, no bairro Poço. Nela serão instalados tomógrafo e equipamento de raio X. A unidade ainda poderá ser utilizada para outras enfermidades após a passagem da pandemia do novo coronavírus.

Além dessas unidade sentinelas, já existem outras nos bairros Santa Amélia e Novo Mundo. Os cerca de 70 postos de saúde do município também atuam pela assistência da população nesse momento de pandemia.

“Nas unidades do Graciliano, Santa Amélia e Novo Mundo já foram realizados mais de 6mil atendimentos e mais de 3 mil testes para covid-19. Os casos, posteriormente, foram encaminhados para tratamento”, informou Rui Palmeira.

O prefeito também citou a importância do atendimento à distância, para que aglomerações sejam evitadas, que pode ser realizado pelo contato telefônico 156, das 7h às 19h ou por meio do aplicativo Atende em Casa, que pode ser acessado no site da prefeitura. Por meio dele, o paciente pode conseguir atendimento por videochamada, ao depender dos sintomas descritos.

Preocupação: evitar tomar vacina e evitar procurar ajuda em casos de sintomas para covid-19

O prefeito e o secretário demonstraram preocupação com as pessoas que apresentam sintomas semelhantes aos da covid-19 e não procuram ajuda. Eles afirmam que deixar o sintomas avançarem, sem procurar ajuda, pode acarretar num agravamento da doença e que a situação só possa ser solucionada em um leito de UTI, que no momento, segundo Palmeira, está escasso.

“As pessoas estão com medo de ir a unidade e quando vão, já estão em estado avançado. Por isso, vamos trabalhar na prevenção, porque não adianta diagnosticar, se não se cuida. Os sentinelas estão monitorando, o pessoal da saúde liga posteriormente para o paciente, pra saber como ele está porque é preciso dar esse respaldo humano, para evitar que a iniciação da doença se torne mais uma pessoa precisando de UTI, que esta escassa. Estamos focando com muito carinho nisso. Os números são expressivos, as próprias UPAs que era urgência e emergência, se transformaram em portas. O estado entrou com respiradores e a gente com R$184 mil para o custeio de cada UPA instalada pelo município”, informou Rui.

Já sobre a vacinação contra a influenza, Nonô informou que há um número menor do que o esperado de crianças, gestantes e puérperas vacinadas. Mas que as pessoas que fazem parte do grupo que deve tomar a vacina, devem se dirigir aos postos de saúde.

“Na sexta, sábado e domingo, faremos drive thru e teremos também tendas, para que as pessoas possam tomar a vacina como puderem e como se sentirem a vontade”, contou.

Auxílio e investimentos

O prefeito Rui Palmeira ainda informou que aguarda o repassa do auxílio emergencial para o município, sancionado pelo Governo Federal. Ele disse que o montante será repassado em quatro parcelas e que a primeira parcela será paga em junho.

O secretário Thomáz Nonô também informou que outros montantes repassados pelo Governo Federal, a exemplo de um repasse de cerca de R$4 milhões e outros, estão sendo utilizados para custear as unidades sentinelas e gastos com materiais. Além desses recursos, ele ainda informou que emendas parlamentares foram conseguidas com a ajuda do deputado federal João Henrique Caldas (JHC). Sobre o repasse com emendas, já houve a provação da aplicação e após aplicação, haverá fiscalização, enfatizou.

Fora o repasse, ele informou que Maceió ainda tem uma quantidade considerável de recursos para dar suporte ao enfrentamento da covid-19. “Fora o repasse, temos R$11milhões e 207 mil e temos na ordem de R$2 milhões e 500 mil e uma série de tratativas, dez aparelhos eletorcardiografos nas unidades sentinelas”, contou.

O secretário ainda expôs que outras enfermidades continuam sendo tratadas no município, a exemplo do câncer e que apenas as cirurgias eletivas foram suspensas.

Ao se tratar de obras, até o fim do mandato, Palmeira informou que as obras sanitárias e de drenagem continuam sendo realizadas na capital e que, até o final do ano, boa parte das obras programas serão entregues.

Outras ações durante a pandemia

O prefeito da capital também citou na entrevista que a gestão municipal tem realizado desinfecção nas áreas públicas da cidade e que essas ações também contam com o apoio do Exército.

E sobre a distribuição de alimento para a população com vulnerabilidade socioeconômica, ele conta que já foram repassadas 65 mil cestas básicas ou kits merenda para esses cidadãos, com a ajuda da iniciativa privada e que um novo processo foi aberto para o repasse de mais 51 mil kits.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados