Boa Noite!, Quarta-Feira - 13 de Novembro de 2019

 

Ação conjunta em Alagoas cumpre mais de 40 mandados contra PCC

Redação com Ascom MP/AL e SSP/AL / 8:57 - 15/08/2019

As ações para o cumprimento de mandados foram em oito municípios de Alagoas e em nove estados do Brasil


ecac5a77-7578-4397-9a84-71d3afa874b8Em operação conjunta, com mais oito Ministério Públicos do Brasil, o Ministério Público de Alagoas (MP/AL) e a Segurança Pública do Estado realizaram, nesta manhã, operação para desarticular crime organizado em Alagoas. No Estado, os alvos foram de quatro células diferentes do Primeiro Comando da Capital (PCC). Estão sendo cumpridos 42 mandados de prisão e 37 de busca e apreensão. Até o momento, 21 suspeitos foram presos no Estado e levados para a sede da Delegacia de Narcóticos (Denarc) e Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic).

Os mandados em Alagoas foram expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital e os pedidos tem por base três Procedimentos de Investigação Criminal (PIC) do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e um inquérito do Denarc. No Estado, a operação foi executada em Maceió, São Miguel dos Milagres, Maragogi, Japaratinga, Paripueira, Passo de Camaragibe, São Luís do Quitunde e Matriz de Camaragibe.

Até o momento, foram três mandados de prisão cumpridos na capital, sendo dois no sistema prisional: um na Penitenciária Baldomero Cavalcante e, outro, no Presídio de Segurança Máxima.

De acordo com o MP/AL, as quatro células do PCC atuam há cerca de cinco anos no Estado e a maioria dos presos é reincidente. Inclusive, eles têm sido processados e presos pelo crime de tráfico de entorpecentes.

Entre os itens encontrados na operação em Alagoas estão:

–  Três armas de fogo (2 pistolas e 1 revólver) e acessórios;

– Entre 200 e 250 gramas de cocaína;

– 37 bombinhas de maconha e 2 pedaços maiores, encontrados em Matriz de Camaragibe;

– 224 gramas de maconha;

– 8 gramas de crack e mais 44 bombinhas de crack, encontrados em Maragogi;

– 1 balança de precisão, encontrada em Maragogi;

Segundo os promotores de justiça do Gaeco, as drogas eram comercializadas ilegalmente no litoral norte de Alagoas e vinham de Maceió.

O MP/AL ainda esclarece que todos os PICs do órgão são referentes aos crimes de tráfico de drogas e organização criminosa. Já a Polícia Civil, responsável pelo Denarc, investiga a quarta célula do PCC da capital.

Estiveram ainda na operação em Alagoas diversos batalhões, delegacias e grupos táticos. A Polícia Militar atuou com o Comando de Policiamento da Capital (CPC), Comando de Policiamento do Interior (CPI), os Batalhões de Operações Especiais (Bope), de Radiopatrulha (BPRp), de Eventos (BPE), o Rodoviário (BPRv), Ambiental (BPA), e o Batalhão de Trânsito (BPTran). Também participaram equipes dos 6°, 7° e 10° Batalhões e as 1ª, 2ª, 3ª e 4ª Companhias Independentes.

A Polícia Civil empregou equipes da Divisão Especial de Investigações e Capturas (DEIC), Operação Policial Integrada Litoranea (Oplit), Tigre, Asfixia e da Delegacia de Narcóticos.

O Grupamento Aéreo participou do cumprimento dos mandados e a Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) também colaborou na ação.

Operação Nacional

No total, estão sendo cumpridos mais de 300 mandados judiciais, entre prisões e apreensões. E, além de Alagoas, as ações estão sendo realizadas no Acre, Amapá, Amazonas, Bahia, Ceará, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Rio de Janeiro.

Acre – está sendo realizada uma grande revista na Penitenciária Francisco de Oliveira Conde, na Capital. O foco está em pavilhões dominados pelo PCC e na facção local Bonde dos 13, aliada ao Primeiro comando da Capital. A ação visa a apreensão de ilícitos e prospecção de informações, além da identificação de pessoas que exercem posição de liderança nessas organizações. Paralelamente, foram denunciadas à Justiça 69 pessoas presas na Operação Hemolíse, realizada no dia 24 de julho, na Capital e outros quatro municípios. Os denunciados são integrantes do Comando Vermelho.

Amapá – com alvos em Macapá, Santana e Porto Grande, a operação, que também tem foco no combate ao tráfico de drogas,  é contra a organização criminosa “Família Terror do Amapá”.

Amazonas – estão sendo cumpridos três mandados de prisão e sete mandados de busca e apreensão. Dentre os alvos da medida, encontram-se lideranças da organização criminosa Família do Norte, considerada a terceira maior facção do Brasil.

Bahia – São 19 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão. A operação está sendo realizada nos municípios de Senhor do Bonfim, Jacobina, Juazeiro, Capim Grosso, Serrolândia e Lauro de Freitas. Entre os alvos, estão integrantes de organização criminosa ligada ao PCC que atua com tráfico de drogas e é responsável por diversos homicídios no estado. Onze promotores de Justiça, 74 policiais militares e 99 policiais rodoviários federais participam da ação.

Ceará – as operações “Jericó” e “Al Qaeda” tiveram investigações que resultaram na expedição de 35 mandados de prisão e 29 mandados de busca e apreensão contra integrantes do PCC a serem cumpridos em todo o Estado do Ceará.

Mato Grosso do Sul – 15 mandados de prisão estão sendo cumpridos contra integrantes do PCC com atuação no estado.

Pernambuco –  cumpre um mandado de prisão e busca e apreensão em apoio a operação que combate a lavagem de dinheiro no Rio de Janeiro. O mandado está sendo cumprido na cidade de Petrolina.

Rio de Janeiro – três operações em andamento. Uma cumpre 41 mandados de busca e apreensão contra policiais militares, sendo oito denunciados por associação criminosa e crime de corrupção passiva, um denunciado por associação para o tráfico de drogas , tendo sido todos afastados de suas funções pela Justiça. A segunda, mandados de prisão  contra  sete traficantes em comunidades do Complexo de Madureira. A terceira, visa prender acusados de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas, com denunciados que atuavam como “laranjas” para ocultar o dinheiro ilícito do tráfico de integrantes da facção Comando Vermelho.


Comentar usando