“A lei é benevolente com os menores infratores”

Tornozeleira eletrônica é apontada pelo coronel Lima Júnior como um instrumento útil para evitar a superlotação

Por | Edição do dia 8 de outubro de 2017
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,,,,,


Resultado de imagem para coronel lima juniorA polícia alagoana não tem dado trégua aos bandidos. E tem sido assim: quem não reagir vai para cadeia. Mas, quem quiser enfrentar a polícia corre o sério risco de perder a vida. Seja nas investigações, no cumprimento do dever ou no confronto direto com os bandidos, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) vem desempenhando o seu papel com o respaldo da sociedade. O comando é do coronel PM Paulo Lima Júnior. Nem ele escapou da ousadia dos bandidos que, por diversas vezes, lhe fizeram ameaças de morte. Na semana que passou, o “xerife” falou com a TV Maceió Agora, no programa Perguntar Não Ofende. Confira como foi essa conversa:

Bandido bom é bandido morto?

Bandido bom é o investigado e preso. Se reagir, morto. Entre meu policial voltar para casa e o bandido, prefiro dez mil vezes que volte para casa o policial. É o único profissional que sai de casa para defender desconhecidos sob risco de morte.

O que é mais difícil: combater o tráfico de drogas ou o crime do colarinho branco?

Combater qualquer tipo de crime é muito difícil. No caso do tráfico de drogas, vemos gerações sendo condenadas. Jovens morrendo por causa desse crime. Hoje, as organizações do tráfico nos obrigam a termos uma estrutura muito maior. O crime do colarinho branco é extremamente nocivo quanto ao tráfico de drogas.

Agências bancárias têm deixado o Sertão por causa da ação de bandidos. O crime está vencendo a guerra?

O fechamento de agências do Banco do Brasil no interior do estado é uma estratégia operacional da instituição. Nós temos um grande resultado de redução de explosões de banco em Alagoas, o que representa 45%. Há 15 dias prendemos uma quadrilha que estava envolvida em arrombamentos de agências no Litoral Norte.

A tornozeleira eletrônica é uma liberdade vigiada ou a licença para continuar no crime?

Na minha concepção, a tornozeleira é um instrumento útil para evitar a superlotação. Mas temos que estabelecer critérios para quem vai usar e ter monitoramento real de quem está usando. Sem isso, não tenho dúvida que quem usa a tornozeleira é um potencial reincidente.

LEIA MAIS NA VERSÃO IMPRESSA JÁ NAS BANCAS

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados