A festa junina e seus símbolos: santos e brincadeiras

A festa junina e seus símbolos: santos e brincadeiras

Por | Edição do dia 26 de junho de 2016
Categoria: Cultura | Tags: ,


Santos

Há ao menos três entidades católicas adoradas pelos fiéis em junho. Dia 13 é data de morte de Santo Antônio de Pádua, franciscano português. Dia 24 é nascimento de São João Batista. Por fim, dia 29 é dia da morte de São Pedro, o primeiro apóstolo de Jesus.

santos-juninos

Em junho se celebra os três santos mais populares: Santo Antonio, São João Batista e São Pedro (Foto: internet)

Nas festas juninas, é tradição levantar um mastro de até 6 metros de comprimento com a imagem de um ou dos três santos. Ao longo dele, é comum se colocar fitas, flores e frutas. Segundo o historiador e antropólogo Luís da Câmara Cascudo, em seu “Dicionário do Folclore Brasileiro”, o mastro é símbolo de “fecundação vegetal”, ligado à prosperidade da colheita. No caso brasileiro (e junino), do milho.

Aos santos, os fiéis dedicam músicas e fazem pedidos, muitos deles associados a simpatias. A Santo Antônio, por exemplo, conhecido como o “santo casamenteiro”, pedem-se marido ou esposa. Para garantir que o pedido seja atendido, é comum jogar uma estátua do padroeiro num poço ou de cabeça para baixo num copo d’água.

Brincadeiras

Além da dança, outros elementos lúdicos das festas incluem brincadeiras voltadas para adultos e crianças. Em comum, a relação direta com elementos do cotidiano rural.

Corrida-de-saco

Na pescaria, pedaços de papel numerados enterrados na areia com argolas (ou peixes de plástico flutuantes no caso de quermesses mais recentemente) são “pescados” com varas com ganchos em troca de pequenos prêmios (ou prendas). Há ainda a corrida de saco (sendo o “saco de batata” o mais comumente usado), o jogo de argolas (ao acertar argolas ou ferraduras em pinos, leva-se o prêmio), a corrida de ovo na colher e ainda o correio elegante (com o envio anônimo de mensagens românticas).

Ou então a mais tradicional das brincadeiras, o pau de sebo. De origem portuguesa, ela consiste em um tronco liso coberto de gordura animal. No seu topo, há um prêmio em dinheiro. Para conquistá-lo, a subida pode ser individual ou em grupo (é comum as pessoas subirem nos ombros das outras e, atingido o topo, dividirem o prêmio entre si).

Vem curtir!

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados