A convite de Leco, Ataíde Gil Guerreiro volta ao São Paulo

Com ovice-residente, também volta toda sua diretoria: Rubens Moreno, diretor de futebol, e os adjuntos Julio Moraes e Gustavo Francês

Por | Edição do dia 14 de outubro de 2015
Categoria: Esportes, Futebol Nacional


Protagonista do episódio que culminou na queda de Carlos Miguel Aidar da presidência do São Paulo após fazer graves denúncias contra a gestão, Ataíde Gil Guerreiro está de volta ao clube. Ele foi convidado por Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, que assumiu a presidência na saída de Aidar, e retornará ao cargo de vice-presidente de futebol até que novas eleições sejam convocadas. Leco tem 30 dias para marcar o novo pleito.

Com Ataíde, também volta toda sua diretoria: Rubens Moreno, diretor de futebol, e os adjuntos Julio Moraes e Gustavo Francês. O vice-presidente, aliás, já estará com o time nesta quarta-feira, no Maracanã, onde o Tricolor paulista enfrenta o Fluminense a partir das 22h, pelo Campeonato Brasileiro.

Ataíde Gil Guerreiro estará com a equipe no Rio para jogo contra Fluminense

Ataíde Gil Guerreiro estará com a equipe no Rio para jogo contra Fluminense

A presença Ataíde no futebol também abre espaço para o retorno de outros profissionais. Gustavo Oliveira, que era gerente-executivo e saiu em maio, tem grandes chances de voltar a ocupar um cargo no futebol. Ele recusou recentemente um convite para assumir como executivo do Cruzeiro, tinha um projeto de gerenciar um clube em Portugal, mas pode aceitar a retomada de trabalho no São Paulo. Mas isso só deve acontecer se Leco for confirmado presidente nas eleições a serem convocados – ele é o único candidato definido até o momento.

Leco, que era presidente do Conselho Deliberativo, e assumiu naturalmente o cargo após a renúncia de Aidar, sempre nutriu simpatia por Ataíde e o modo como ele defendia o clube. Entre as polêmicas da gestão, o vice de futebol era visto como um exemplo de honestidade. Assim, seu retorno foi uma dos primeiros atos do mandatário que assume de maneira provisória, mas é favorito para as eleições que se aproximam.

Ataíde estourou a crise contra a gestão de Aidar ao agredir o ex-presidente na sgunda-feira da semana passada. Logo após o episódio, enviou e-mail a Aidar com uma série de acusações, entre desvio de dinheiro em contratações, tentativa de suborno na negociação de um jogador chamado Gustavo da Portuguesa, e pagamento de comissão para a namorada do ex-mandatário, Cinira Maturana. Ainda no e-mail, Ataíde diz ter gravado conversa com Aidar em que as acusações são comprovadas e também cita que o ex-vice de comunicação e marketing, Douglas Schwartzmann, estaria “exagerando” na cobrança de comissões.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados