Surto de “Bicho-de-pé” atinge crianças em favela no Dique Estrada

Thiago Luiz - Colaborador Especial O Dia Mais / 4:58 - 19/01/2017

ONG Manda Ver promove ação social com poder público e voluntários para atender comunidade


Crianças do Dique-Estrada são infectadas por bactéria nos pés (foto: Cacá Santiago)

Crianças do Dique Estrada são infectadas por bactéria nos pés (foto: Cacá Santiago)

A favela Sururu de Capote enfrenta uma triste realidade e não é de hoje. A bola da vez é uma bactéria que tem tomado conta dos pés de moradores da comunidade. A reportagem de O Dia Mais foi até o local e constatou a situação de, principalmente, crianças infectadas por esse micróbio.

Sábado, dia 21, às 9h, haverá uma ação social, realizada pelo projeto Manda Ver o atendimento às pessoas infectadas e mostrar a situação às autoridades. A concentração será em frente à igreja Virgem dos Pobres, no Vergel do Lago. Os idealizadores da ação chamam a atenção para a necessidade de voluntários da área de saúde.

O projeto Manda Ver foi fundado por Carlos Jorge e por sua esposa, Alessandra, em outubro de 2015. Carlos se deparou com a situação das famílias e com seus pés tomados por bichos que ficam no barro e têm contato direto com os pés, já que não existe piso nos barracos e nem calçados para as pessoas.

Foto: Cacá Santiago

Foto: Cacá Santiago

Hoje há uma extrema necessidade de doações de materiais para higiene, antissépticos, calçados, brinquedos para as crianças e ajuda de pessoas que sejam da área de saúde. O projeto é mantido apenas por vendas de produtos, rifas e dinheiro arrecadado em palestras.

Em conversa com a reportagem, o fundador da ONG falou que desde que começou a reivindicar a situação dos moradores, ainda não obteve resposta de nenhuma autoridade pública, não houve nenhum pronunciamento de previsão de visitas ao local, ou de assistência.

“É uma situação alarmante de saúde pública e a gente está tentando aqui desenvolver, junto com o projeto social, realmente uma política pública, porque não é só o problema de um bichinho no pé, é um problema de insalubridade do local que falta, os barracos são muito simples, falta higienização, falta piso, além dos animais que passam e fazem suas necessidades fisiológicas.

Esgoto a céu aberto pode ser um dos causadores da proliferação da bactéria (foto: Cacá Santiago)

Esgoto a céu aberto pode ser um dos causadores da proliferação da bactéria (foto: Cacá Santiago)

Ao final, Carlos Jorge fez um pedido: “Gente, eu queria fazer um apelo ao poder público, peço à secretaria de saúde, à secretaria de habitação, à assistência social, eu peço para que se mobilizem para mudar essa triste realidade. Fica aqui a minha reivindicação à Prefeitura, ao Governo, a quem puder representar a mudança desse espaço aqui, para tentar melhorar e fazer uma transformação social aqui. Obrigado!”

 


Comentar usando